Ir para página «  1, 2, 3, 4  »

 Página 3 de 4 [ 34 mensagens ] 
 
 Mensagem não lidaPublicado: Qui Jan 07, 2016 3:03 pm 
Mensagens: 19
Thalita muito boa sua experiência!
Posta ela num novo tópico, dia a dia que acho que vai ajudar ainda mais a galera que está buscando esse tipo de informação tão interna que só o relato de quem já foi pode revelar!

Use o fato de nao ter ido na Universal e Sea World para voltar logo pra Orlando! Eu mal posso esperar!

Sobre os lanches nos parques: eu e a minha esposa aguentamos de boa ficar só de pão e Oreo durante o dia, mas claro que chega uma hora que cansa, enjoa. Não levamos lanche em todos os dias de parque, alguns compramos algo diferente la. Ninguém é de ferro! Comemos um pouco mal na viagem por conta da grana, mas quando íamos no Olive Garden a gente compensava rsrs



 Mensagem não lidaPublicado: Qui Jan 07, 2016 3:13 pm 
Mensagens: 472
Thalitta, faz um relato só seu sim! (:
Sempre útil.

E adorando o relato! Eu acho que hoje em dia não compensa mais comprar GPS mesmo. Em 2013 ainda comprei e revendi pelo preço que paguei mesmo (melhor que alugar). Mas agora? Foi Waze na veia. HAHAHHA. Muita gente não sente necessidade de chip, mas eu gosto da acessibilidade quando quiser #viciada


 Mensagem não lidaPublicado: Qui Jan 07, 2016 3:38 pm 
Mensagens: 19
Primeiro dia de parques: Island of Adventure + Cici's Pizza.

Continuando com o relato, hoje chegamos no primeiro dia da Maratona Parquística. Dia 27/09 era um Domingo ensolarado, poucas nuvens e muito convidativo para nos molharmos. Que bom porque era bem esse dia que eu tinha programado para visitar o Island of Adventures.
Planejamos o nosso dia a dia com base no calendário de cheiúra dos parques. Isso foi fundamental para evitarmos fila e pegarmos cada parque no seu melhor dia… então lá vai mais uma dica!

DICA 4: Planejarás o roteiro de acordo com o Crowd Calendar.

Existem alguns sites, mas o que usei e acertei na mosca foi o do Undercover Tourist. O calendário deles é muito completo e detalhado. Com base no histórico dos parques em cada dia, nas atrações e no dia da semana, eles elaboram uma tabela com todos os parques principais e suas lotações naquela data futura específica. Esse calendário foi fundamental para colocarmos os parques em verdinho e evitar os em vermelho (os que estão mais vazios e mais cheios, respectivamente) nos seus dias corretos. Além de que pudemos planejar os eventos que não queríamos ir, como por exemplo a festa de Halloween do Magick Kingdon, e evitar os dias da Universal que os horários dos parques eram reduzidos.

No final, acertamos em cheio (quase) todos os dias para cada parque. Inclusive este primeiro dia. Gostaríamos de começar a viagem de modo clássico, colocando o Magic Kingdon em primeiro lugar, mas segundo o calendário este dia estaria muito cheio, e o dia seguinte seria segunda-feira (o dia que todos devem evitar ir ao Magic), então ele se tornou o terceiro parque.
Então vamos para a Universal!
Estávamos empolgados! Este parque estava em construção em 1998 então tudo seria novidade.
Começamos o dia cedinho. Aline foi preparando os nossos sanduíches de peito de peru, e os biscoitos (é biscoito mesmo ok, “truta”?) e eu fui preparando a mochila com câmera, cartões de memória, cabos, adaptadores e tudo mais pra registrarmos todo o possível! Tomamos café da manhã no hotel. Engolimos umas panquecas com maple syrup, um suquinho de maçã (sério não dá pra tomar o chafé preto transparente americano, eu ficava só no suco morrendo de vontade de tomar um Café Forte do Brasil! #propagandadegraça).
Celular no vidro do carro, GPS ligado, endereço adicionado, rádio tocando Taylor Swift (perdi a conta de quantas vezes tocou Taylor Swift nas nossas indas e vindas de carro) partimos!

Imagem

Estacionamos, e fomos para o check de bagagens, tudo ok, fomos para a nostálgica esteira da Universal que perdura por eras, e que continua a mesma! Preciso mesmo parar de fazer propaganda do canal do Castanhari, mas cara… que Nostalgia!
Passando pelo lindo City Walk fomos para a esquerda. Assim que entramos no parque a minha idéia era ver se o parque estava vazio. Se estivesse eu faria o roteiro no sentido horário mesmo começando pela Marvel. Caso contrário, eu começaria pelo outro lado pra evitar filas.
Mas o parque estava MUITO vazio. Valeu mesmo Crowd calendar!

Imagem

A montanha russa do Hulk seria nosso primeiro brinquedo, mas desde aquela época ela está fechada para reforma e abre novamente em 2016. Essa fica para a próxima.

Fomos no simulador do Spider Man. Acho que começar a viagem com esse ride é tomar do Sr. Orlando um tapa na cara e ouvir ele gritar pra você: “Ta vendo? Aqui não é não tem muleque! Aqui é Orlando, e isso é um simulador, não aquela porcaria que você conheceu no Barra Shopping!”
Sei que todos os elogios para o brinquedo já foram dados por muitos aqui. E ele realmente merece. Ainda hoje acho que foi o Melhor brinquedo de Orlando pra mim. E foi o primeiro, ou seja, não poderíamos ter começado melhor! Sempre li muito os hqs do Homem-aranha, então além da tecnologia ter me fascinado, foi emocionante ver o cabeça-de-teia em algo tão espetacular.
Claro que os 2 MINUTOS de fila ajudaram para eu ter gostado ainda mais!

Continuando a Marvel fomos no Dr. Doom Fearfall, e achamos bem divertido! A subida rápida te pega de surpresa mesmo quando você sabe que ela vem.
Tiramos muitas fotos na área. Ela realmente é muito linda e parece que você está no meio de páginas de quadrinhos. Comprei uma camiseta maneiríssima na loja do Aranha, tirei fotos com um Wolverine gordinho que estava passando por lá, e muitas fotos nas lojas e atrações da land.

Partimos para a Toon Lagoon e começa a molhadeira.
Área muito bonita. Aliás tudo lá na Universal chega a ser até mais bem detalhadamente ambientado do que na Disney.
Todos sabem que lá existem dois rides principais e que molham muito. Mas não deixam de ser bem divertidos.
Começamos com o Popeye & Bluto’s Bilge-Rat Barges, onde você vai com mais alguns candangos estranhos pra você e que não falam nem inglês nem espanhol e mesmo assim tentam puxar assunto. É uma espécie de bóia que percorre um rio que é lento e rápido as vezes. É bem gostoso principalmente se estiver quente como estava. Você sai sorrindo mas encharcado! Então lá vai mais uma dica porque você precisa conhecer como se proteger da água em cada atração:

DICA 5: Preparar-se-ás antecipadamente para cada água que tomarás na cabeça!

Você vai sair muito molhado dos brinquedos, então cante como o Scar de O Rei Leão e se prepaaaaaare.
Compre antecipadamente uma mochila impermeável. Existem de vários preços e modelos. Isso vai salvar tudo que está dentro dela de ser estragado, como o lanche, papéis, os passaportes, as câmeras, celulares e afins!
Caso você não tenha comprado uma, tente minimizar os estragos com uma saída simples. Compre saquinhos tipo Ziplock no Walmart no dia anterior. Coloque tudo que você quer preservar vivo dentro deles e mesmo que a mochila permita entrar alguma água, eles estarão a salvo no saquinho.
Essa questão precisa ser levada muito a sério. Você anda com o seu passaporte, e sua carteira cheia de notas verdinhas dentro. Seu celular é quase parte do seu corpo, e a câmera está com todas as suas fotos dentro. Quer mesmo correr o risco de estragar alguma coisa? Compra o Ziplock ou a bolsa impermeável vai.

Existem brinquedos que você consegue proteger melhor seus pertences. Outros não. Esse do Popeye tem um compartimento no meio da bóia para você colocar suas bolsas e cobrir com um plástico. Mesmo assim não é totalmente seguro porque entra água sim. Mas outros brinquedos não tem nada pra te ajudar, nem locker na entrada da atração e sua mochila ou bolsa deverá ir com você no brinquedo, correndo riscos sérios de molhação.

Setamos, molhados, um pouco para fazer um lanchinho breve, e depois fomos para o próximo: .
Outro que molha muito. Resumidamente é o Splash Mountain deles, mas molha bem mais que o da Disney.
Quando estávamos na pequena fila de 5 minutos, ficamos ansiosos procurando lockers para guardar a mochila, mas não tem não. O jeito foi colocar a mochila em baixo das pernas, tentar protegê-la da água, e torcer pra não molhar muito. Mas molhou. Entra muita água no brinquedo e como a mochila fica no chão entrou muita água na nela. Estragou alguns papéis que eu tinha, mas o Passaporte no Ziplock estava seco e intacto!
A Aline não gostou nada desse brinquedo porque achou a queda dele muito rápida, violenta e muito vertical. Eu gostei bastante, fiquei até com vontade de repetir.

Mudando um pouco de ares visuais mas não de humidade corporal, a próxima parada era o Jurassic Park.
Como eu estava ansioso por essa parte! Quando você entra nela, começa a ver muitas árvores, pegadas no chão, e aquela música clássica do John Williams tocando nas bem escondidas caixas de som…. Ai ai meu coração mole de criança criada nos anos 90 que assistia por várias vezes aqueles dinossauros comedores de gente! Jurassic Park é um tema que sou muito fã. Amo cinema e o primeiro filme de 1993 é um clássico que revejo sempre que posso. Portanto, as expectativas eram grandes!

O Jurassic Park River Adventure é imperdível. Você entra num barco que te leva pelo Parque mais famoso do cinema. Quando ele vai navegando pelo riozinho e abre-se aquele portal clássico, você se sente dentro do filme, é impressionante! E claro a trilha sonora continua pra te emocionar ainda mais. Não vou dar spoilers sobre a atração, mas apenas citar que o T-Rex que aparece e te dá um susto é absurdamente real! Os movimentos, a pele, os olhos… caraca… (isso não é spoiler, você sabe que teria um T-Rex na atração principal né? rs). Pra finalizar uma queda gostosa na água. Sim, mais água e a mochila vai chão se refrescando do calor também!

Imagem

DICA 5.1: Levarás um par de chinelos caso não queiras molhar os vossos pisantes.
Ouvimos dizer que dava pra ir descalço nas atrações da Universal que molham. Não, não dá.
Na fila do Popeye tiramos os tênis e guardamos, chegando lá na frente fomos obrigados a colocar eles de volta, e sim, eles ficaram encharcados nas três atrações que molham.
Caso você não queira ficar pisando no molhado o resto do dia, faz assim: leva um par de chinelas de borracha na mochila. Havaianas, Crocs, o que for. Antes de entrar nas atrações que molham tire o tênis e coloque o chinelo, guarde o tênis na mochila. Isso vai te fazer uma baita diferença no restante do dia! Eu não levei, e nem li essa dica em lugar nenhum antes da viagem, então fiquei sim com o pé molhado. O tênis foi a única coisa que não secou até o fim do dia.

Se você seguir a sequência que eu fiz, pode ficar tranquilo agora pois mais nenhuma atração vai te molhar. Então se você realmente é alérgico à roupa molhada, este é o momento de se enxugar e trocar de roupa caso você tenha levado um kit extra (e ele não tenha molhado dentro da mochila né? rs). Eu levei um par de meia e uma cueca, porque ficar de cueca molhada ninguém merece. :lol:
Depois do River Adventure que era o último brinquedo que molha fui no banheiro, me troquei e ficou muito mais confortável. Minha bermuda era tipo essas de usar em praia saca? Então eu sabia que ela secaria bem rápido e secou mesmo. A camiseta que demorou um tiquinho a mais, mas logo secou também.

Ainda na área do Jurassic Park, fomos no Discovery Center que é bem legal, vale a pena a visita, e no Raptor Ecounter. Essa é uma atração nova, que a galera faz uma fila para tirar foto com um Velociraptor. Fica um tio vestido de treinador de dinossauros explicando algumas coisas sobre o parque, e depois ele fala que vai chamar a Suny (não sei se ela vai mudar de novo na sua vez, mas lá ele chamou ela de Suny, tá?), uma Raptor que está sendo treinada pra ser dócil e tirar fotos com a gente!
É uma mistura de robô animatrônico com um cara dentro da fantasia. Mas é bem divertido. O Raptor é muito bem feito, e interage com a galera, dando uns rugidos na cara das pessoas, umas cheiradas no cangotes dos homens (afinal é uma fêmea né?) enquanto o treinador faz piadinhas. Tem um funcionário da Universal pra tirar fotos com suas máquinas ou celulares à vontade.

A próxima land é a do Harry Potter, e aqui vale um disclaimer.
Eu nunca vi nenhum filme, nem muito menos li qualquer livro da série. Pra mim Harry Potter e nada é a mesma coisa rs. Mas sei reconhecer quando algo é bem feito. E a sua land no parque é absurdamente bem detalhada. O Castelo é imponente e muito bem feito. As montanhas-russas parecem legais (não fomos) e a atração dentro do castelo é tecnologicamente incrível mesmo. Nada além da tecnologia da atração me chamou a atenção porque não tenho nenhuma ligação emocional com a história (exatamente por isso coloco o simulador do Spider como melhor que esse para mim). Mas com tudo que foi feito, consigo entender o por quê dos fãs ficarem tão loucos quando chegam ali.
Ah, um detalhe curioso: Dentro do Castelo eles construíram tudo pensando mesmo nas filas quilométricas de mais de 2 horas no verão. A gente andava, andava, andava e não chegava nunca! É claro também que só fomos na atração porque a fila estava em 10 minutos!
Existe locker gratuito nesta atração, não pode entrar com bolsa nela. ;)

A partir daqui, nada a meu ver vira imperdível no parque. A Seuss Landing é extremamente infantil e eu nunca gostei das histórias daqueles personagens, e o Lost Continent parecia uma área que caiu de paraquedas ali porque não tinha nada a ver com o parque. Não comemos no Mytho's, nem vimos o show do Sindbad, mas fomos no Poseidon's Fury. É um showzinho bem do mais ou menos, com uns efeitos especiais e interação com o publico. Acreditem ou não essa foi a única atração que ficamos em fila, e arrependidamente esperei 35 minutos ali pra poder entrar.

Depois de darmos essa volta inteira no parque, a tarde já estava terminando, e voltamos na Marvel para repetirmos o Homem Aranha com 0 minutos de fila. 8-) 8-) 8-)

Saímos pelo City Walk em direção ao estacionamento felizes da vida! A gente tava em Orlando! Eu visitei um parque que eu nunca tinha ido mas que sonhava em ir. Além de estar acompanhado da melhor companhia que eu podia ter!
Andamos bastante, estávamos cansados, mas nossos preparativos valeram a pena! O primeiro dia de parque tinha sido ótimo!

Pegamos aquele Sentra maravilhoso que eu já tinha certeza que era meu e de mais ninguém, fomos pro hotel. Tomamos banho, nos trocamos, e esse dia fomos jantar fora. Segui a dica de um canal do YouTube e fomos no Cici's Pizza. Tinha um bem pertinho do hotel. US$ 5,99 para um buffet de pizzas e saladas à vontade. E ainda levei cupom de desconto que tinha no balcão do hotel! Hehe
Eu esperava uma pizza ruim, e um local não muito agradável, julgando apenas pelo preço. Mas fui surpreendido. A pizza era deliciosa, bem parecida com a pizza da Domino's aqui no Brasil que custa uma fortuna. Eu gosto da pizza deles, então deve ser por isso que gostei tanto do Cici's. Tem pizzas doces bem saborosas também, e algumas bem picantes. O local era agradável. Eu vi que algumas unidades do restaurante realmente eram meio feias, mas esse ficava ao lado de um Minigolf, num complexozinho de algumas outras lojas e restaurantes. Era bonito lá e bem ambientado. O endereço é 7763 West Irlo Bronson Memorial Highway,Kissimmee.

Imagem

Ao lado tinha uma lojinha de souvenirs que fomos olhar mas não curtimos nada.

Como ainda sobravam algumas poucas horinhas no dia voltamos no Walmart para comprar algumas coisas que havíamos esquecido, e alguns Aussie para trazer pro Brasil.

Dessa vez eu me empolguei escrevendo hein! Como vocês tem paciência? Hahaha


 Mensagem não lidaPublicado: Qui Jan 07, 2016 4:43 pm 
Mensagens: 472
Adoro o Island, mas acho que ele precisa urgentemente de uma adição de atrações. Sinto que sem a montanha-russa do Hulk o parque fica com bem poucas opções. Teremos o KingKong em breve, mas espero que adicionem mais coisa também.

Fora esta questão, adoro este parque todinho! ^^ E como fã de Harry Potter AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO a área de Hogwarts/Hogsmead! <3 <3
Por que não foram nas montanhas-russas? Elas são excelentes!

E mesmo no verão, eu levei uma troca de roupas para esse parque e fui de chinelo. Porque, né? HAHAHAAH

Adorando os relatos (:


 Mensagem não lidaPublicado: Qui Jan 07, 2016 4:56 pm 
Mensagens: 19
Como você vai ver nos relatos a frente, as montanhas-russas não foram muito visitadas por nós.... eu tenho nada de experiencia com elas, e um pouco de medo, mas sou daqueles que se vai alguem junto animando, eu vou na boa e amo. Mas a Aline nao gosta mesmo, aí eu acabava nao indo tambem! rsrs


 Mensagem não lidaPublicado: Seg Jan 11, 2016 2:15 pm 
Mensagens: 19
Sea World, shows, emoções, e muitos bichos!

Começamos o segundo dia de parques querendo tomar um café diferente do que tomamos no hotel para variar então fomos no Panera Bread. Nos arrependemos. Comida cara e mal servida. :x
Pedimos bagels e também um sanduíche tostado de queijo. Mas era bem pouco queijo.
Café expresso era duplo mas era pouco mais de um dedo de café. Frio, ruim e caro.
Foi a refeição que menos gostamos na viagem inteira, e achei o custo muito alto mesmo se fosse mais gostoso.

Era dia de Sea World, parque que eu e minha família visitamos em 1998. Expectativa grande para me matar de nostalgia de volta e ver o que tinha de novo (Manta!!!!)

Lembra que no primeiro dia eu tive que ir no escritório da Orlando Tickets Online pegar os nossos ingressos pros parques? Pois bem, quando estávamos lá, a atendente (que era brasileira) tirou uma xerox de todos os nossos ingressos, e falou as sábias palavras: “guarde essas cópias no porta-luvas do carro. Vocês podem precisar em casos de emergência”

Realmente as palavras eram sábias! Neste dia o cabeça de vento aqui esqueceu de levar os ingressos! Chegamos no parque, estacionamos, fomos andando felizes e faceiros para a entrada, chegando lá cadê os ingressos? Nem preciso dizer que a Aline fez pra mim a mesma cara que a Lily de “How I Met Your Mother” faz quando alguém está morto pra ela né? Rs
Daí eu lembrei que tinha a cópia no carro! Fui correndo lá, peguei a xerox, e na catraca do parque ela passou normalmente como qualquer outro ingresso! Uhuul! Me livrei dessa! Hahaha

Então esta é a ….

DICA 6: Levarás uma cópia de seus ingressos no porta-luvas do seu locomotivo!
Claro que isso não é garantia que vai salvar a sua vida. Mas quando fizer a burrada de esquecer que nem eu, talvez isso ajude e você não precise voltar pro hotel e perder o maior tempão. Mas já é alguma coisa!
Lembrando que comigo deu certo porque os ingressos do Sea World e da Universal são lidos tipo um código de barras na catraca, logo a xerox tem o mesmo código. Já os da Disney são cartões com um chip dentro, então a xerox não vai adiantar para você usar como entrada nos parques.

Entrando no parque a Aline já foi ficando maravilhada com a ambientação. As focas fakes em volta do farol, as lojinhas, os animais em cercadinhos, tudo bem diferente do dia anterior!
E claro que meu primeiro brinquedo foi a Manta.
Eu tenho experiência quase zero com montanhas-russas, e acreditem ou não, nunca fui em uma que tivesse looping.
A Aline ficou com tanto trauma daquela queda na água no dia anterior, que jamais iria na Manta. Fui sozinho. Neste dia eu não tinha esquecido apenas os ingressos no hotel, mas tinha esquecido também minhas lentes de contato. Tive que ir sem óculos e sem lente também! Talvez tenha tirado um pouquinho o brilho (ou o foco, nitidez, o que você preferir haha) da experiência, mas todo o medo que eu tava sentindo na fila de 5 minutos desapareceu na primeira descida. Assim que entrei e a cadeira vira pra você ficar sentado, você começa a pensar mil motivos do porque raios você escolheu por livre e espontânea vontade se matar daquele jeito. Mas depois que ela começa a “voar”… A sensação é indescritivelmente gostosa! O medo some! Ela não é brusca mas é muito suave, e nos loopings você sente que está voando. Dá uma sensação de liberdade inacreditável!
No fim das contas a Manta foi a montanha-russa que mais gostei na viagem toda (tá certo que faltaram várias…).
Assim que saí dela a fila já estava em 20 minutos, e pelo que eu estava acostumado isso era demais pra esperar (#turndownforwhat 8-) ). Resolvemos percorrer o parque em sentido anti-horário, a famosa dica de evitar filas.

Fomos no Shark Encounter e ficamos fascinados! Lembro que em 1998 eu tinha ido e achado o percurso enorme. Se eles reduziram o tamanho do aquário e do percurso eu não sei, sei que achei bem curtinho dessa vez. Tanto que saímos e voltamos para ver os animais novamente. Mas isso não fez a experiência ser ruim, pelo contrário, é uma ótima atração!
Ambientação incrível, trilha sonora de fundo que te faz imergir naquele ambiente. Os tubarões e outros peixes enormes passam bem pertinho de você, e se sua câmera tiver boa captação de imagens em baixa luminosidade você fará fotos e vídeos incríveis. Lembre-se de não usar o flash. Foto com flash aqui não funciona porque ele reflete muito no vidro.

Próxima parada era no Shamu Stadium para assistirmos o One Ocean, o show das Orcas.
Vale aqui um disclaimer:

Sei que o Sea World está passando por todo um processo jurídico sobre os shows e os tratamentos dados aos animais e tal. Dá uma peninha mesmo de ver animais tão grandes que deveriam estar nos oceanos mas estão em um local pequeno e servindo meio que de marionetes para a diversão dos humanos.
Mas também sei que esses animais morreriam em poucos dias se fossem soltos na natureza, pois aquela é toda a vida que eles conhecem, nascidos e criados em cativeiro. Entendo quem critica o parque por isso, mas também entendo quem vai e assiste. É consciência de cada um. Qual a diferença entre o Sea World e um Zoológico como os que temos aqui? Nenhuma. E como eu sempre fui no Zoo do RJ que era do lado da minha casa, eu fui no Sea World.

Voltando…
O show realmente é bonito, e elas molham muito mesmo as pessoas que sentam na frente. Se quiser ficar seco mas também quer ver de pertinho, sente no meio do teatro nas cadeiras baixas. É perto e elas não molham muito ali por causa doç deck que tem na frente do tanque.

Saindo do Shamu Stadium fomos ao Wild Artic.
O que falar dessa atração? Bom… que ela é velha, sem graça, sacode sem necessidade e te deixa irritado por estar ali. Porém depois do “simulador” (aquilo simula raiva em você, apenas isso), tem uma parte bem legal que faz de conta que você chegou em uma base de pesquisa no Ártico. Ali tem alguns animais como as Baleias Belugas e os Manatees. Os animais são impressionantes, o ambiente é bem legal, e apenas por essa segunda parte que a atração vale a pena. Se tiver alguma maneira de você pular a parte que simula o helicóptero chegando na base, pule, vai valer a pena.

Almoçamos o lanchinho que preparamos de manhã no hotel sentados em uma das mesinhas próximo ao Mango Joe's Cafe. Fazíamos assim sempre que levávamos lanche: sentávamos perto de uma lanchonete, comíamos e comprávamos o refri do local porque não estávamos levando bebidas. Isso fazia com quem gastássemos em torno de US$ 4,00 por dia com alimentação nos parques. Bom né?
E não precisa ter vergonha nenhuma afinal você não está levando aquela farofada com frango na marmita. Vimos muitas famílias, americanas inclusive, levando seu próprio lanche.

O Sea World é um parque tão lindo e tava tão tão vazio que era muito gostoso apenas passear, andar meio sem rumo por aquelas ruazinhas tão bonitas, tirar bastante foto, e conversar. Eram legais esses momentos sem correria apenas aproveitando o local que você esperou tanto e viajou tantos km para estar ali. Sinto falta disso!

Depois de muitos passeios, fomos no Antartica: Empire of the Penguin, que para mim era atração nova! Muita expectativa pois é uma das mais modernas do parque, e tem uma área temática só pra ela. A fila decepcionante de 45 minutos também ajudou a achar que o brinquedo era incrível.
Mas o brinquedo em sí é muito desapontante. Sem graça, gira sem sentido numa sala esquisita…
Mas assim como o Wild Artic tem uma segunda parte legal, esse tem uma segunda parte incrível! Você sai do brinquedo, e entra em uma sala gelada abaixo de 10º C onde estão Milhões de pinguins! Eles ficam a uma distância de menos de 1 metro de você separados apenas por um acrílico fino que bate na altura do peito de um adulto. Dá pra esticar a mão e tocar neles, mas claro que ninguém faz isso pra não correr o risco de tomar um esporrão e passar vergonhão.
A experiência é muito legal, e para quem gosta de animais a espera vale a pena mesmo com filas maiores.

A dica aqui é levar um casaco ou uma blusa mais quente na mochila, principalmente se a época da sua viagem for no calor. Eu senti bastante frio lá!
Depois desse encontro "face to face", você desce umas escadas e vê, através de um vidro, a parte submersa na água onde os pinguins estão nadando. Eles nadam como se fossem torpedos dentro d'água! É muito legal! Fiz altas fotos e filmagens bem legais ali!

Sainda do Antartica era hora de se molhar um pouco no Journey to Atlantis, o Splash Mountain do Sea World. Brinquedo antigo, lembro de ter ido quando criança. Como eu mencionei antes, eu estava de óculos, tinha esquecido minhas lentes de contato no hotel, então neste brinquedo fui sem óculos e não deu pra ver detalhe nenhum de nada haha. Mas a queda é bem gostosa, e molha consideravelmente. Não tanto quanto as do dia anterior, mas molha bem sim. Aline ficou me esperando lá embaixo e tentando tirar foto enquanto eu me ensopava.

Já estava quase dando a hora do último show dos golfinhos, então corremos para o Dolphin Theater e ficamos maravilhados com a apresentação! É uma pegada bem diferente da Shamu. Aqui é como se fosse contada uma história, uma apresentação teatral e musical com: canto, golfinhos, bailarinos/acrobatas/treinadores de golfinhos, aves voando, bandeiras tremulando, pessoas saltando, golfinhos saltando, amor surgindo, liberdade alcançando….. ufa! Acontece realmente muita coisa nesse show, a trilha sonora é fantástica, e o show é imperdível. Muito mais legal que o da Shamu.

O dia passou tão rápido que já estava dando o horário do parque fechar, não tínhamos ido na Kraken ainda, nem repetido a Manta, e ainda faltava mais um cantinho do parque que não tínhamos ido. Como a Aline não curte muito montanha russa, fomos ver o que faltava e que fosse mais light. Deixei a Kraken pra minha próxima viagem, e uma segunda ida na Manta também.
Estão contando? Já tem a do Hulk, a Kraken, a Dragon Challenge do HP, tudo me esperando pra uma volta a Orlando!

Fomos ao Turlte Track. Acho que é a mais nova atração do SW e é certamente a mais tecnológica. Primeiro na fila você fica esperando num corredor que também é aquário com muita vida marinha, e umas tartarugas gigantes que me renderam fotos espetaculares!
Depois você entra numa sala enorme, com uma cúpula tipo um planetário. Então é exibido um filme em 3D e em 360º, que pega a cúpula inteira. O filme te coloca na pele de uma tartaruguinha marinha filhote que acaba de eclodir do ovo e tem que encarar vários desafios e perigos até chegar na água e depois de já estar nela também. Esse filme tem um papel conservacional bem importante mostrando que não apenas os predadores são uma ameaça a ela, mas como também latas, garrafas e sacos plásticos jogados na praia e no mar. Bem legal, gostamos muito, e a tecnologia impressiona.

Num cantinho ali na esquerda tem um local chamado Dolphin Cove. É uma baía artificial onde ficam alguns golfinhos de um porte um pouco menor do que os do show lá no teatro. É lindo demaaaaaais ali, e também tiramos muitas fotos e fizemos vídeos bem legais com os golfinhos. Ali é uma área que você paga separadamente um ingresso, agenda um horário pelo site oficial (ou lá mesmo no dia se ainda tiver algum horário vago), e tem a oportunidade de interação com os golfinhos, mas sem entrar na água.
A família ou a pessoa que vai fica junto com um treinador, apoiados na borda do tanque que fica na altura da cintura, e ficam um ou mais golfinhos ali também na borda. As pessoas fazem carinho neles, dão comida na boca, aprendem como mandar eles fazerem piruetas e por aí vai. Dura uns 10 minutinhos por grupo, e lembro que o ingresso não é caro, acho que era uns U$20,00 por grupo. Como tinha que agendar e a gente tava no final do dia já não havia mais horário disponível para nós. Uma pena.

A boa notícia é que uma grande parte desse tanque não tem cercado algum para a entrada exclusiva de quem comprou o ingresso. Isso quer dizer que você pode ficar ali na borda do tanque, e se algum golfinho resolver ir por livre e espontânea vontade nadar ali na área que você está, ele fica à distância de um braço seu esticado! Isso porque o parapeito do tanque bate na altura da tua barriga! E sim, eles vão lá por livre e espontânea vontade! Haha
Naquele momento juntou-se um grupinho de pessoas ali, incluindo nós claro, que ficamos na esperança de eles virem e passarem pertinho da gente. Algumas pessoas conseguiram tocar e fazer carinho neles, mas eles passavam muito rápido e eu não consegui! Triste. Mas tomei um banho na hora que eles passaram se sacudindo tudo.
As treinadoras ficaram à distancia monitorando. Não era “permitido” ninguém esticar o braço e mexer nos bichos sem acompanhamento de treinadores, por riscos tanto para os animais como também para as pessoas, claro. Mas elas ficaram acompanhando de longe, e de vez enquando falavam que não era pra esticar o braço pra dentro da água. Mas só faziam isso quando viam que alguém realmente estava se debruçando na borda quase caindo dentro d'água.

Achei interessante isso porque elas foram bem relax. Acho que deixaram porque viram que os golfinhos estavam relaxados, não estavam estressados, sei la. Sei que é meio raro americanos serem relax com procedimentos de segurança, protocolos a seguir e tal. Já era final do dia também, o parque estava fechando e as interações pagas com os golfinhos já tinham se encerrado.
Não posso garantir que na sua visita vai ser assim, mas foi bem legal.

Bem perto daquela área tem outra interação com animais, o Stingray Lagoon. Uma piscina com várias Arraias de diferentes espécies e tamanhos que ficam nadando de boa ali. O tanque é proposital, feito pro pessoal esticar a mão dentro da água e tocar nos animais. Eles até vendem um pacotinho de comida de Arraia que você segura no dedo dentro da água e espera elas virem abocanhar. Mas da pra tocar nelas sem isso. É estranho, são pegajosas e tem a pela com uma textura de pele de lesma! Mas é bem divertida a experiência, recomendo principalmente para as crianças. Não há perigo algum.

Nesse momento já tinha passado das 17 horas e estávamos seguindo o fluxo pra sair do parque. O dia tinha sido muito divertido, valeu muito a pena!
Recomendo fortemente o Sea World como um dos parques obrigatórios de Orlando para visitar.
Não é nada cansativo comparando com os outros, geograficamente é pequeno e você passa bastante tempo sentado nos shows e atrações. Visite num dia bonito para não perder a beleza natural do parque com um céu nublado.
Na saída ainda passamos na lojinha, compramos um lindo porta retrato para nos servir de lembrança de mais um dia incrível que tínhamos vivido ali, e como estávamos felizes por essa viagem estar sendo inesquecível.

Jantamos em um Applebee's bem pertinho do hotel. Comida boa, preço nem tanto, mas lugar legal para comer. Depois relaxamos, não fomos dormir tarde, até porque o cansaço da viagem começava a bater e segundo nossos planos o dia seguinte era o primeiro dia de Disney!


 Mensagem não lidaPublicado: Seg Jan 11, 2016 4:20 pm 
Mensagens: 472
Você assiste How I Met! <3 <3 HAHAHAHHA... Adoro a Lily.

Quanto aos ingressos, os da Disney é sempre bom ter a fotografia do VERSO dos ingressos (onde tem um QRCode e um número). Com isso, a pessoa consegue resgatar seu ingresso na entrada e bater com sua digital ((: A moça da RCA falou isso para mim e foi a primeira coisa que fiz.

hahahahah.... Disse tudo ao expressar que o WildArtic simula raiva. Gente, que coisa HORRÍVEL! Mas a saída dele é ótima mesmo! Tem a Beluguiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha <3 <3 E o mesmo vale pro Antártica. Gente, WTF esse brinquedo? E ele sequer possui a desculpa de ser velho.

Nossa, o dia em que fomos ao SeaWorld estava TÃO calor que nem senti muito frio dentro da área dos Pinguins. HAHAHA...


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Jan 12, 2016 10:13 am 
Mensagens: 19
Sim @AleGilos, assistimos HIMYM sim! é nossa série de casal! haha

Boa dica sobre os ingressos pra Disney! Hoje tem mais um post!


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Jan 12, 2016 1:36 pm 
Mensagens: 19
Planos Fail + dia agradável de compras

Como eu disse no post anterior, este era o primeiro dia Disney do roteiro, por isso estávamos muito empolgados. :o
Desde a noite anterior eu vi na internet que este dia ia ter chuvas fortes o dia todo.
Amanheceu com muita nebulosidade mas sem chuva. Só tava aquela cara que ia ter tempestades o dia todo sabe? Ficamos com medo do dia ir nuvens abaixo, mas mesmo assim nos preparamos e saímos rumo ao Reino da Magia!

Passamos num Walgreens que ficava ao lado do hotel e compramos capas de chuva de 2 dólares. Nos parques o preço é bem maior. Eu simplesmente detesto andar com capa de chuva, mas era 9 horas da manhã e parecia noite de tão nublado que estava.

Rumamos em direção ao território da magia, passamos pelo portal mais emocionante da história dos portais, e pagamos o estacionamento que bem neste dia tinha aumentado de 17 para 20 dólares. Sacanagem seu Waldisnei! Estacionamos, fomos andando para o trenzinho que leva à entrada do parque e…. Chuva… Muita chuva! Corre pra vestir a capa. Estávamos felizes por estarmos ali, mas era tanta água, tanta água que a gente tinha certeza que aquela chuva ia deixar o nosso dia bem menos gostoso do que seria num bom dia de sol. Sei que em Orlando é comum o céu estar encoberto, vir a chuva, e clarear de volta. Mas vimos na previsao do tempo que ia dar chuva o dia todo….

Agora imagina a gente, tendo estacionado, tendo já entrado no Monorail, e dentro dele conversando e decidindo se íamos ou não entrar no parque… Saímos do trem, fomos andando até as catracas vestindo as capas de chuva, e mesmo assim já estávamos encharcados, e eu dentro daquele saco de plástico quente pra caramba, mochila nas costas, água caindo…. Não deu, desistimos. Tristes demos meia volta e preferimos não passar das catracas, afinal isso contaria como um dos 5 dias de ingresso que tínhamos direito. :cry:

Nosso roteiro não estava apertado, e tínhamos dias coringas que poderiam variar. Então a decisão de trocar o dia do MK por outro foi acertada. Realmente choveu o dia inteiro e só foi parar no fim da tarde.
Mas foi bem triste ir andando no contra-fluxo da galera, pegando o trem de volta pro estacionamento, indo pro carro, e largando R$ 20,00 suados dólares de graça, sem ter usado! O ruim também era que tínhamos bons Fastpasses marcados para aquele dia, e agora eu teria que reservar o que desse pro dia seguinte.

Fomos então fazer compras. Ótimo programa para fazer em dias de chuva! Coloque o seu dia de compras como dia alternável, porque você vai passar o dia todo em lojas ou shoppings fechados, e nem vai sentir a chuva cair.
Vimos na previsão do tempo que o dia seguinte seria de bastante sol e calor, então programei os Fastpasses que eu queria para o MK no dia seguinte.

Perto do nosso hotel tinha um complexo com as seguintes lojas: Ross, TjMaxx, Dolar Tree, Super Target e alguns restaurantes como Olive Garden e o tal do Panera Bread. Entao ficamos por ali mesmo. Achamos coisas bem interessantes na Ross, mas achei aquela loja um pouco pequena… mas não adianta não tem loja mais barateira em Orlando.
Aqui vale uma nota:
A Ross é mais barata que qualquer Outlet, claro, até pelo trabalho que te dá de driblar todos os brasileiros ali dentro e achar uma peça bonita escondida nas araras.
Em 2013 quando fomos a Nova York, em todos os lugares falavam que lá em NY não haviam lojas tão baratas para compras, a não ser nos outlets de New Jersey. Naquela ocasião fizemos as compras na loja Century 21, perto do World Trade Center. Achei os preços de lá excelentes. Eu comprei várias camisetas Tommy, Nike e Adidas por U$ 9.
Agora em Orlando eu esperava que as coisas fossem ao menos o mesmo o mesmo valor, se não menos do que paguei em NY.
O fato é que nem na Ross eu achei tão barato quanto na Century 21 de NY.
Depois de ir para os dois lugares, agora eu falo com toda certeza que achei a Century de NY muito melhor pra comprar do que qualquer loja de Orlando. Era mais organizada, maior, e com muito mais variedades de roupas, além de os preços serem muito mais baixos. E não falo das coisas mais baratas não.
Por exemplo: tudo bem, que a diferença da camiseta Nike em NY ter custado 9 Obamas e em Orlando ter custado 15 não é taaaaaao grande assim (se converter fica bem gritante a diferença sim). Mas a Aline comprou em NY uma bolsa Michael Kors por $99 e em loja nenhuma eu achei a mesma bolsa em Orlando por menos de $159,00…. a MESMA bolsa. Isso valeu para Ross, para a TJ Maxx e quando a gente coloca os Premium da vida, aí a diferença é maior ainda.

A Aline mal comprou bolsa em Orlando… Em NY comprou um monte da Tommy e essa da Michael Kors, agora em Orlando comprou apenas uma tira-colo (é assim que escreve mulheres? rs) da Tommy, por $25, preço que ela tinha pago em bolsas grandes em NY da mesma marca…

Alguém que já visitou as duas cidades, e as lojas citadas já percebeu diferença de preço semelhante? E se sim, porque vi tamanha diferença de preço?

Em determinado momento, chegamos a pensar na idéia de não fazer compras em Orlando, e como iríamos voltar em NY dentro de 2 dias deixar pra fazer as compras lá na Century 21. E teria valido a pena, e nós realmente preferíamos assim. Só que nosso tempo em NY era muito curto, só 3 dias, estaríamos com outras pessoas, não queríamos perder o nosso tempo na cidade dentro de uma loja, e também iríamos só com mochila, sem bagagem pra despachar que em vôos domésticos americanos são cobradas à parte. Se pudéssemos trazer pra Orlando uma Mala com coisas compradas em Ny e tivéssemos mais tempo lá, assim seria!

O fato é que graças a isso e ao dólar estar 4 reais ter me impossibilitado de levar mais grana do que eu levei, nós estávamos meio desanimados pra compras… Claro que esse não era o objetivo da viagem, mas sim nos divertir e passear.. Mas quando você está nos EUA o teu corpo Pede pra você voltar com duas malas a mais, é impressionante! :lol:

Visitamos todas as lojas que citei nesse local. A que menos gostei foi a Dolar Tree… só tem coisa feia… pelo menos pra mim. Não curti não. Mas foi lá que compramos a bendita pomada genérica da Bengay que custou 1 dólar e era milagrosa! Não lembro o nome! Mas vai lá e procura uma de embalagem vermelha que esteja escrito “muscle rub”, pronto, achou! ;)

Com relação a compras, na viagem toda o campeão de visitas foi mesmo o Walmart. Lá tinha quase tudo que gostávamos, e um passeio naquele mercado é muito divertido. Nós amamos mercados! Haha

Este dia foi meio morto, mas foi bom pra dar um refresco na cabeça. Dia de compras não parece mas mesmo que você não saia dos lugares lotado de malas, vai o dia inteiro!

Dessa vez o relato foi um tiquinho mais curto hein, poupei os olhos de vocês!


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Jan 19, 2016 3:26 pm 
Mensagens: 19
Magic Kingdon – E o novo significado da palavra “magia”

Olá pessoas! tudo bom? Este aqui talvez tenha sido o dia que mais gostei de escrever! Um dos melhores da minha vida! Espero que também curtam o relato, e preparem os olhos! Está bem grande!


Este era dia de gastar mais $20,00 com o mesmo estacionamento que eu tinha ido dar uma volta no dia anterior! Mas estávamos muiito felizes!
O sol era intenso, o céu azul sem nuvens, e o dia prometia. Estava para começar um dos dias mais inesquecíveis de todos! Era dia de Magic Kingdon bebê! 8-)

Estacionamos o carro, pegamos o trem, e finalmente passamos das catracas dessa vez!
É meio difícil não ficar embasbacado com o MK no primeiro momento que você chega a avistar o Castelo ainda de longe, e depois quando você vai entrando pela Main Street… O parque tem um ar de parque de diversões antigo dos anos 50, com os funcionários com roupas características. Balões, doces, crianças, muitas crianças, lojinhas, pessoas felizes, funcionários felizes, e lá na frente um castelo que dá inveja a muitos Senhores Feudais da Idade Média. :lol:

Depois de ficarmos um tempo parados contemplando tudo aquilo, fomos em direção ao City Hall logo na entrada. Ali é o Guest Relations do parque. Na frente dele fica uma barraquinha com broches comemorativos de aniversário, primeira visita, viagem em família e tal….
Você pode pegar quantos quiser. Pegamos alguns de 1st Visit (para a Aline era né!) e de Happy Aniversary, que é o comemorativo de aniversário de casamento… Sim naquela mesma semana iríamos comemorar nosso terceiro aniversário de casamento!
Fixamos na mochila, e era legal porque cada vez que algum funcionário nas filas, ou nas lojas viam os broches nos parabenizavam pelo aniversário de casamento na maior simpatia! A Disney realmente sabe ser incrível nos pequenos detalhes.
Hoje um desses broches está com um imã na minha geladeira! =)

A primeira parte do parque é andar pela Main Street, entrar nas lojinhas, não comprar nada rs, e à medida que vamos nos aproximamos do Castelo da Cinderela irmos tirando muitas e muuuuitas fotos! Aquele lugar é lindo e inesquecível. Fazia um sol… mas um sol de rachar o coco! Isso ajudou as fotos a ficarem bem bonitas, mas eu que não levei óculos de sol não estava aguentando de tanta luz e claridade. Míopes geralmente não gostam de muita luz. E lá era muito quente, muita claridade e nada de sombras. Tive que tentar achar um óculos numa lojinha, e comprei um óculos de sol super chinês genérico chingling por $25,00 em uma loja por lá… #facada

Dica de roteiro pro parque é a mesma que o site Falando de Viagem cansa de dar: Fazer no sentido anti-horário. Todos partem para a esquerda quando saem ali do castelo. Fomos rumo à direita para a Tomorrowland. A área futurística na mente das pessoas do passado. Tínhamos um Fastpass+ marcado logo cedo para a Space Mountain, mas a fila estava em 5 minutos. Bom… o Fastpass+ estava marcado, então usamos mesmo assim :D
Até a Aline que não gosta de monha-russa amou essa, e a Space Mountain ajudou ela a ir perdendo o medo das montanhas-russas pelo menos da Disney que são mais leves mesmo.

Fomos também no Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin e achamos muuuuito divertido! Eu parecia uma criança feliz tentando atirar nos Zurgs e nos alienígenas! Claro que eu venci né! =P
Eu fiquei impressionado com a tecnologia usada em um boneco XICANTE do Buzz que tem na fila. Tá certo que o corpo dele é um animatrônico como outro qualquer. Mas o rosto é uma projeção em 3D luminosa, que faz ele mexer os olhos, a boca e tal… É como se o rosto dele fosse uma tela de monitor com o desenho do rosto, e a imagem da tela vai se mexendo quando ele vai falando e tal… mas é uma tela curva, no formato do rosto dele, os olhos estão em alto relevo, o queixo… caramba, é sensacional! Não sei como fazem aquilo mas fica muito perfeito! Na verdade não sei nem como descrever o que é aquilo! Se liga:

Imagem

Fomos também no Stitch’s Great Scape. Na minha época de criança era o Alien Encounter. A Disney resolveu trocar a temática da atração para o Stitch por dois motivos. Bom, Lilo & Stitch foi lançado e fez sucesso, precisava de uma atração. E algumas pessoas achavam a atração do Alien muito assustadora, principalmente para um parque infantil como o MK. Em 98 eu nem fui! :cry:
Mas fui em 2015, sem expectativa nenhuma por ter ouvido falar que era fraco… e me surpreendi positivamente! A narrativa do que acontece é legal, e dá um nervoso muito divertido quando o Stitch dá uma risada e uma cafungada no teu cangote! Hahaha
Recomendo a todos o Stitch’s Great Scape. Muito legal!

Algumas atrações da Tomorrowland nós pulamos por serem muito antigas e pouco divertidas, como Tomorrowland Indy Speedway, People Mover e Carrousel of Progress. E outras como a Monsters Inc. Laugh Floor não fomos pois era um show todo em inglês. Mas esse fico aguardando pra próxima viagem!

Subindo um pouco o mapa vamos parar em Fantasyland, a parte mais guti-guti de todos os parques Disney. A parte mais Disney da Disney. Aqui as atrações são voltadas para as crianças em sua maioria e tem como tema os filmes clássicos de princesas e contos de fadas. É lindo lá, muito bem ambientado, tem personagens em vários cantos como a Alice, o Gaston, Ariel e outros. E como essa área foi renovada recentemente dá pra perceber que a maioria das atrações são bem novinhas, com tecnologias novas e um capricho a mais!

A primeira que fomos foi a Under the Sea, brinquedo muito novo e muito bem feito que conta a história da Pequena Sereia com animatrônicos . Mesmo sem crianças acho que vale a pena se você gostar bastante da única princesa ruivinha da Disney (opa, esqueci da Ana!). Mas se você não souber a história ou nunca ter visto o filme vai achar meio borring, porque é bem infantil e descaradamente feita para meninas. A Aline amou, ela ama a Ariel. Eu achei legal porque realmente é bem feitinha.

O Seven Dwarfs Mine Train tinha fila de 85 minutos… eu não tinha Fastpass+ pra ele então pulamos na esperança de conseguir marcar um Fastpass+ pra mais tarde, ou de as filas diminuírem… Não diminuiram, só aumentaram, e 85 minutos foi o menor tempo do dia! Droga! Ficou para a próxima também.

Outro que não encaramos a fila de 55 minutos foi o Peter Pan’s Flight. Mas não consigo entender por que o Mickey’s PhilharMagic tinha fila de apenas 5 minutos e ninguém se interessa nele!
Gente, essa foi uma das melhores atrações do parque inteiro na nossa opinião! Eu não sei se em 1998 ela existia, pelo menos não me lembro dela (mas lembro de ter ido na Casa do Mickey e da Minnie que era bem legal, e da minha irmã mais nova pulando a cerca e invadindo o quarto do Mickey fazendo o alarme de segurança apitar e um cara vir correndo pra tirar ela de lá! :lol: ).
O Mickey’s PhilharMagic é um teatro com cinema 3D. Passa um filme animado contando o dia em que o Donald roubou o chapéu mágico do Mickey e tenta fazer o mesmo que ele faz no filme Fantasia. Claro que dá tudo errado e no fim ele acaba voando da tela e indo parar na parte de trás do teatro! E isso é incrível! Haha
Vá ao Mickey’s PhilharMagic. Vá ao Mickey’s PhilharMagic duas vezes! Sem mais.

Não vá ao It's a Small World…. Ou se seus filhos já forem grandinhos e você quiser sacanear eles, faz uma propaganda boa do brinquedo, deixa eles bem loucos pra ir, e mandem ir sozinhos. Prepare-se para ter que comprar um Playstation 7 pra ele de presente como pedido de desculpas, mas você vai ter ganho o prêmio Pai Troll do Ano. ;)

Mais uma atração que fomos sem nenhuma expectativa foi o Enchanted Tales with Belle. Pegamos uma fila e nos arrependemos… mas ficamos fortes na fila. E valeu a pena. Quando termina a fila você entra em um dos quartos do castelo da Fera. Aqui Bela e a Fera vivem o “felizes para sempre” depois da história que você vê no clássico filme (se você não assistiu ao filme…. Pára de ler isso aqui e vai correndo ver! Rum!). Quem recebe a gente é o Lumière, o candelabro de ouro falante. Ele é um boneco de tamanho real de como ele seria no filme, ou seja… do tamanho de um candelabro! Dur! Rsrs
É um animatrônico com o rosto na mesma tecnologia do Buzz Lightyear que falei antes. Fidelidade inacreditável aos movimentos do rosto do personagem!
O Lumière pede a ajuda de várias crianças que estão ali na sessão. Cada criança segura uma plaquinha com qual personagem ela deverá interpretar: a Fera, Mrs. Pots, um cavalo, etc…
A idéia é que a Bela vai entrar ali e ser surpreendida por todos nós. E as crianças vão atuar e contar junto com a Bela a história do filme.
Parece bobo, mas para nós que amamos crianças foi encantador. A atriz que interpreta a Bela está com aquele vestido amarelo clássico, impecável, super bem produzida e interage com todas as crianças que estão interpretando algum papel, e as outras assistindo também. É como se fosse um teatro sem palco e numa sala fechada para 20, 30 pessoas no máximo. Por isso que a fila demora um pouquinho. É lindo, simplesmente lindo! Não tem como não ficar imaginando uma viagem futura com uma Mini-Alininha ali com vestido de princesa brincando com as crianças e com a Bela.

Imagem

A Fantasyland é uma área linda para você sentar um pouco, apreciar a vista, tirar fotos, tomar um refrigerante, comer um algodão doce, um sorvete. Esse lugar realmente é um parque de diversão infantil. Então reserve uns minutos para fugir da correria do dia, atrações e horários, e senta um pouco apreciando o lugar e relaxa! Veja as crianças correndo, os pais cansados mas felizes, os atores quase que acreditando que são mesmo aqueles personagens. Este é o lugar mais feliz da Terra, lembra?

Passando pela Liberty Square, aqui não tem basicamente nada para fazer. É mais uma área de lojinhas e lojinhas. Tem a Haunted Manssion que deixamos para ir mais tarde durante o dia com algum Fastpass+.
Passamos no Sleepy Hollow e pedimos um doce muito gostoso, mas que as muitas propagandas e indicações fizeram ele ser menos gostoso do que realmente achei que seria. O nome do doce? Se prepara… Funnel Cake with Strawberry topping and Whipped Cream. Sim cada palavrinha dessa é necessária pra descrever tudo que vem nele! Haha
Recomendo comer, realmente é gostoso, mas não é o melhor doce do mundo. O pudim de leite do meu pai é bem melhor e ele não cobra 9,45 dólares por isso! ;)

Chagando em Frontierland tínhamos FastPass+ marcados para a Splash Mountain e para a Big Thunder Mountain. Como foi delicioso passar a fila quilométrica que cada uma delas tinha, enquanto todos ficam olhando pra você com aquela cara “por que esse brasileiro tá furando fila? :geek: ?!”… Sim, sinto muito por essas pessoas. Mas realmente as filas são tão grandes que fico me perguntando: Será que essas pessoas todas realmente não se prepararam para agendar FastPass? Será que não sabem o que é isso? Será que sabem mas agendaram apenas pra tirar fotos com a Ana e a Elsa e não sabem que dá pra marcar mais durante o dia? Onde vivem? Como se alimentam? Hoje, no Globo Repórter.
É por isso que eu digo, planejamento é essencial! Fomos nas duas Mountains sem pegar nada de fila! Nessa hora dá aquele pensamento: “que orgulho de você, Felipe! Parabéns por ter se planejado tão bem!”… 8-)
Sendo que se vocês se lembram, eu tive que reservar os FastPass no dia anterior, porque trocamos o dia do parque em cima da hora!

Ah, sobre os horários dos agendamentos…..

DICA 7: Programarás os horários dos FastPass+ de acordo com que horas do dia estarás em cada área.
Basta você fazer no papel o seu roteiro completo primeiro. Assim você tem uma idéia de onde deve estar mais ou menos as 11 horas, onde vai almoçar, em que parte vai estar às 15 horas e tal… claro que nunca vai dar certinho. Mas vai ser um bom ponto de partida para seus agendamentos.
Depois que fizer o roteiro do parque, hora de agendar os FastPass+.
Vou dar o nosso exemplo. Pensamos em começar o dia pela Tomorrowland, logo marcamos a Space Mountain para algo em torno de 10 hrs da manhã. Iríamos dar a volta por Fantasyland, almoçar, e chegar em Frontierland. Logo marcamos a Splash e a Big Thunder. Uma para as 14 horas, e a outra das 15:30 as 16:30, porque sabíamos que as 15 horas teria a parada na avenida principal. E deu tudo certinho!
Outra boa dica é para não marcar o último horário muito tarde. Você pode agendar 3 FastPass com antecedência. Mas assim que usa o último você pode marcar mais um, e depois mais um, e depois mais um assim infinitamente até o fim do dia. Portanto se você agendar um FastPass para o show de encerramento ou para algum brinquedo sei lá, lá para as 19hrs, não vai ser possível marcar um 4º agendamento até aquele horário.
Neste dia de Magic Kingdon nós usamos uns 6 ou 7 FastPass!

Voltando…
Entre as duas Mountains rolou a parada das 15 horas.
Em 1998 a parada foi um dos pontos altos pra mim como criança… até hoje lembro da música Remember the Magic…

“So join the celebration
And wish upon a star
And stop! to remember the magic (Zip-A-Dee-Doo-Dah)
It's time to remember the magic (Zip-A-Dee-Ay)
There's always a dream coming true
Remember the magic!”


Essa coisa linda dessa música não sai da minha cabeça por 17 anos já!

Então pensa na emoção de voltar a assistir uma parada no Magic Kingdon tantos anos depois! Aliás “ Zip-A-Dee-Doo-Dah, Zip-A-Dee-Ay” era algo que eu queria ouvir! E ouvi, principalmente na fila do Splash Mountain!

Mas é claro que a parada mudou de lá pra cá. Aquela em 1998 havia sido a comemorativa de 25 anos do Walt Disney World. A atual chama-se Disney Festival of Fantasy Parade. Que é tão linda quanto, e adiciona todos os novos personagens de filmes Disney, como Ana, Elsa e Olaf!
Eu filmei tudo, fiz ótimas fotos! Assistimos tudo na Liberty Square em frente ao Hall of Presidents (por favor não entre aí!) e foi um ótimo lugar. Ficamos bem na fita de contenção, e debaixo de um sol que queimava o pé dentro do tênis!

Após a parada rumamos para a Adventureland e o primeiro brinquedo foi o Pirates of the Caribbean. Não tínhamos conseguido agentar FP+ pra ele então o jeito foi enfrentar a fila de 45 minutos mesmo. Confesso que saí um pouco (muito) decepcionado com essa atração. Tá certo que ela é bem antiga e que ficou bem popular mesmo depois dos filmes, mas eu esperava que justamente devido aos filmes eles tornassem ela incrível, com muitas referências ao filme, e aos personagens. E não.. a única coisa que remete aos filmes é um Jack Sparrow que entra e sai de um barril que nem o Chaves e a placa/bandeira que fica na porta da atração que tem as mesmas fontes usadas nos cartazes e posters dos filmes.
Fora isso são animatrônicos de piratas genéricos em cenários genéricos e sem emoção.
A Disney tem muito disso, de você ir num barquinho ou num trenzinho assistindo robôs fazendo movimentos limitados sem novidades…. Acho que nesse ponto está na hora deles aprenderem um pouco com o Sr. Universal e modernizarem suas tecnologias!

Fomos também no Jungle Cruise só porque conseguimos marcar um FP ali na hora pra ele. Eu não recomendo esse brinquedo… Mais um passeio de barco olhando para animais robóticos (e mal feitos… lembrei até do Beto Carrero que tem uma atração com robôs ruins igualzinha, o "DinoMagic")… é muito bobinho. A única parte boa é o “piloto” do barco que vai fazendo piadinhas o tempo todo, algumas até são engraçadas. Mas se você não fala inglês nada vale a pena aí pra você.

Bem na entrada do Jungle Cruise há um totem de agendamento do FastPass, e fomos lá ver o que tinha disponível. Conseguimos agendar um FP para dali 5 minutos depois na Haunted Mansion. Foi ótimo pois não precisamos enfrentar fila nela, que era de mais de 40 minutos.
A atração é bobinha, mas atualizada tecnologicamente. Não assusta nenhum pouco!
Na verdade senti falta de algum brinquedo em Orlando que dê medo mesmo sabe, não por ser radical, mas por ser assustador. Tem algum que perdi?

A partir de então já tínhamos feito todos os brinquedos e atrações que queríamos muito, com exceção do Peter Pan's Flight da Seven Dwarfs Mine que tinham filas muito grandes e como a tarde estava chegando ao fim, ficamos com medo de perder a parada noturna, e de perder um bom lugar para assistir os shows no Castelo. Então ficamos procurando filas pequenas ou FP+ disponíveis. Pra você ter uma idéia até FP+ para o Many Adventures of Winnie the Pooh a gente marcou e foi… kkkk só tinha criança naquilo! Hahaha

A noite estava chegando, então fomos para a frente do Castelo, perguntamos para uma funcionária simpática qual ponto ela recomendaria para ficarmos para os shows. Aí ela apontou pra um local e falou algo tipo assim: “Oh, ali você não vai ver tão bem a Eletrical Parede, mas vai ter uma vista ótima do Wishes! Mas não se preocupe, a Electrical Parede nem é tão legal assim” hahahaha quanta sinceridade dela hein!
Seguimos a dica dela e nos demos bem. Realmente a parada noturna não tem nada demais, é bem bobinha e tem uma música muito chata! Rsrs

Mas o que falar do Wishes? Todos os sinônimos de Emocionante cabem aqui.
Se você foi uma criança criada nos anos 90 rodeada de filmes clássicos da Disney na época boa que ela fazia desenho animado e não animação computadorizada, sabe o quanto aqueles desenhos e filmes significam pra você. E esse show foi feito para essas pessoas! Eles conseguem colocar tudo num único show: Rei Leão, Toy Story, Aladin, Alice, Pinóquio, Fantasia, os filmes das princesas todas (aliás, no MK em muita coisa tem referência visual e sonora à Bela e a Fera, que pra mim tem uma das trilhas mais lindas da Disney).
O Wishes talvez tenha muito mais significado e apelo emocional para pessoas de 20 a 35 anos de idade do que para mais velhos ou crianças muito mais novas. As crianças hoje assistem desenhos bem diferentes dos clássicos referenciados no espetáculo.
Mas eu posso também estar sendo um daqueles chatos de “no meu tempo tudo era melhor” hahaha
O fato é que eu chorei… e chorei ...kkk que vergonha um marmanjo desse tamanho emocionado daquele jeito!
Mesmo que você não chore, se aquelas músicas e personagens fazem parte do seu ser, pelo menos arrepiado você vai ficar.
A tecnologia usada nas projeções e as músicas são incríveis, tudo feito pra te encantar e emocionar. Nem ligo muito para os fogos, morando no Rio de Janeiro você aprende que isso não é nada demais.. rs
Mas quando passa aquele luminoso contornando o castelo, e começa “When you wish upon a staaaaar…….” com aquele arranjo sinfônico lindo… é exatamente a mesma cena que você vê como logo principal no início de cada filme Disney, a mesma música… e quando você vê essa cena você sabe que algo incrível está para começar!

Façam um favor ao mundo, e fiquem para assistir ao Wishes!!!! Talvez o preço do ingresso valha a pena só por ele! Tem gente sem coração que sai antes, ou que vai fazer algo diferente no parque… “aproveitar que está todo mundo lá e ir em brinquedos sem fila”… faça-me o favor! =P
Mesmo que eu fosse no parque 12 vezes ao ano eu ficaria para ver o show!

Depois do encerramento aí sim você tá liberado para fazer o que quiser. Veja naquele dia qual o horário que o parque fecha e faça mais atrações se o seu cansaço permitir. O nosso não permitiu… já era quase 11 da noite quando saímos de lá, estávamos mortos e com muita fome, mas aquele tinha sido um dos melhores dias das nossas vidas.
Mais uma vez eu estava num lugar incrível, que sempre sonhei, com a melhor companhia do mundo que jamais sonhei em ter igual!

Agora só queríamos sair (na verdade eu não queria sair, queria morar lá), comer qualquer coisa, tomar um banho e desmaiar na cama, porque o dia seguinte ia ser muito puxado e seria o dia que acordaríamos mais cedo da viagem toda!

Pegamos o carro, fomos direto pro hotel. Tem um Mc Donnald's bem na entrada do Hotel Destiny Palms, onde estávamos hospedados. Então foi lá mesmo. Passamos no drive-thru, pegamos o lanche e comemos no quarto.

Realmente desmaiamos, porque no dia seguinte precisávamos acordar bem cedo! Era hora de rever uma velha amiga que estávamos morrendo de saudade, a Big Apple!

Próximo post mudamos um pouco de ares. É dia de viajar para Nova York!


 
 Tópicos Relacionados      Respostas 
Coco Key Hotel and Water Resort: hotel econômico em Orlando com parque aquático

em Hotéis em Orlando

Última mensagem Ter Fev 12, 2019 12:09 pm Beatriz Ver última mensagem

 

2

15 coisas que você não pode levar para os parques da Disney em Orlando

em Dúvidas gerais

Última mensagem Seg Dez 24, 2018 1:42 am VitorFonte Ver última mensagem

 

2

VAT included: o que isso significa?

em Destinos - Europa

Última mensagem Qua Mar 13, 2019 1:17 pm GabrielDias Ver última mensagem

 

1

Avianca Brasil cancela rotas para Miami, Nova York e Santiago do Chile

[ Ir para página: 1, 2, 3, 4 ]

em Notícias

Última mensagem Seg Mar 04, 2019 10:49 pm LMBJR Ver última mensagem

 

31

Avianca Brasil irá diminuir frequência de voos para Miami e Nova York em março

em Notícias

Última mensagem Ter Jan 29, 2019 1:52 pm zardox Ver última mensagem

 

3

 


Booking.com




Ir para:  
 

 

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 4 visitantes