Adianta tirar as etiquetas e jogar as caixas fora para passar na alfândega?

Troca de informações sobre alfândega no Brasil.

Avatar do usuário
GabrielDias Mensagens: 41642
Qui Jun 04, 2020 4:22 pm
Imagem

A alfândega é o pesadelo de qualquer viajante que compra acima da cota de US$500, permitida pela Receita Federal e totalmente defasada. Recentemente, foi anunciado o aumento da cota no Duty Free, de US$500 para US$1.000, só que esse aumento não interessa aos viajantes e é quase que totalmente inútil. Nós queremos um aumento na cota da alfândega.

Leia também: 12 mitos da alfândega

Eu sempre leio comentários de viajantes querendo driblar a alfândega e, de cara, posso te afirmar uma coisa: os fiscais sabem de todas essas artimanhas e muitas outras, então você querer dar uma de esperto não vai dar certo. Uma das táticas que circulam por aí é a de tirar todas as etiquetas das roupas e jogar fora todas as caixas, para dar a entender que os produtos não são novos. Bobagem total isso!

Leia também: Como é a alfândega no Aeroporto de Guarulhos (GRU) em São Paulo

Não é uma etiqueta ou uma caixa que irão enganar os fiscais. Para começar, se eles quiserem poderão abrir todas as malas, mochilas e bolsas. Assim, se você fez uma viagem de 7 dias e está voltando com 20 blusas, é óbvio que não levou todas e comprou a maioria delas na viagem, principalmente se estiver voltando dos EUA. O volume é incompatível com a duração da viagem e isso é levado em consideração. Outra coisa que fazem é tirar as etiquetas dos tênis, para dizer que são usados, mas quando o fiscal olha a sola ela está novinha, sem uso, o que define que é um produto novo, comprado na viagem.

Leia também: Para onde vão os produtos apreendidos pela alfândega?

E jogar as caixas fora? Também é outra bobeira, principalmente com eletrônicos, pois é fácil descobrir se um produto é novo ou usado. Você pode jogar a caixa fora para não ocupar espaço e nem gastar os 23 quilos da sua franquia de bagagem.

Se você vai viajar, e sabe que fará compras, evite levar roupas e calçados do Brasil. Assim, você pode comprar novos, usar na viagem, e alegar uso pessoal, pois não tem nenhum problema - será compatível com a duração da viagem. Se você está voltando da Europa no inverno, e trouxe um ou dois casacos comprados lá, se encaixa perfeitamente em item pessoal. Só que se você voltar com esses dois casacos no verão, são incompatíveis com a viagem, e entram na sua cota.

Leia também: Preciso declarar o dinheiro que vou levar em uma viagem ao exterior?

Resumo: dar uma de esperto, jogando etiquetas e caixas fora, não adianta nada.

As exceções da cota da alfândega

A normativa da Receita Federal é bem clara:
§ 1º Os bens de caráter manifestamente pessoal a que se refere o inciso VII do caput abrangem, entre outros, uma máquina fotográfica, um relógio de pulso e um telefone celular usados que o viajante porte consigo, desde que em compatibilidade com as circunstâncias da viagem.
Esses produtos podem custar US$5.000, por exemplo, e não precisarão pagar nada de imposto.

Limite quantitativo

Vale lembrar que, além da cota no valor de US$500, existe um limite quantitativo de produtos iguais que podem ser trazidos:
- Abaixo de 10 dólares: 10 produtos iguais;
- Acima de 10 dólares: 3 produtos iguais.

Boa viagem!

E você, costuma ficar apreensivo quando vai passar na alfândega? Costuma declarar o que comprou em excesso? Conte para nós a sua experiência!
Imagem
ImagemImagemImagemImagemImagem
Conheça os grupos pagos do Falando de Viagem no WhatsApp: https://fdv.im/grupospagos
Avatar do usuário
Fabio Mensagens: 8876
Sex Jun 05, 2020 1:42 am
Quem trabalha na alfandega jah ouviu todo tipo de desculpa que o ser humano eh capaz de inventar.
Avatar do usuário
baran Mensagens: 10195
Sex Jun 05, 2020 7:04 am
Acho que a idéia de tirar a etiqueta é para não acharem que elas serão vendidas no Brasil. Mas concordo que a quantidade e o tipo de roupa é um indicador muito melhor da destinação que a pessoa pretende dar a elas.

Esses dias usei uma camisa social que comprei em 2015. Quando tirei, percebi que ainda estava com aquela etiqueta magnética antifurto.
Adriana Mensagens: 2181
Dom Jun 07, 2020 10:10 am
Eu acho que o melhor é realmente nao levar muita coisa se pretende fazer compras no destino, assim já usa na viagem. As caixas e embalagens eu sempre tiro porque ocupam espaço e peso, algumas vezes até de presentes, faço outra embalagem.
Avatar do usuário
GabrielDias Mensagens: 41642
Dom Jun 07, 2020 10:36 am
Isso, Adriana. E, usando na viagem, entra como item pessoal, sem preocupações.
Conheça os grupos pagos do Falando de Viagem no WhatsApp: https://fdv.im/grupospagos
manucaldas Mensagens: 1404
Seg Jun 08, 2020 6:39 pm
No telefone sem fio dos viajantes a gente acaba se apegando a uns mitos sem sentido.
Avatar do usuário
JulianaMagalhaes Mensagens: 6014
Ter Jun 09, 2020 3:01 pm
Pelo sim ou pelo não eu tiro etiqueta de tudo e tento separar bem nas malas. Mas os fiscais obviamente são muito espertos e estão preparados para tudo.
Avatar do usuário
GabrielDias Mensagens: 41642
Qui Jun 11, 2020 8:57 pm
Eu sempre tive o hábito de tirar etiquetas, caixas, cabines e etc para não pesar na mala. E na época ainda podíamos 32 quilos. Agora então, jogo tudo fora sem pena.
Conheça os grupos pagos do Falando de Viagem no WhatsApp: https://fdv.im/grupospagos



Booking.com

Voltar para “Alfândega”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 3 visitantes


Anúncio