Companhias aéreas
Franquia de bagagem

Todos os horários são GMT - 3 horas


Ir para página 1, 2  »

 Página 1 de 2 [ 11 mensagens ] 
 
 Mensagem não lidaPublicado: Seg Ago 12, 2013 7:02 pm 
Mensagens: 952
Uma dúvida que me surgiu, e que alguns podem já ter passado por isso.

Apesar de ter cada vez mais e mais vôos diretos de várias cidades para o exterior, muitos ainda precisam fazer escala para chegar em sua cidade. Mesmo cidades como São Paulo, cada vez mais tem promoções de passagens com escala no Rio, comum na Tam, Gol e UsAirways.

Pois bem. Na volta, se passa pelo free shop e alfândega no pouso vindo do exterior (ao menos na maioria das vezes). Sabem como ficam as compras no free shop, principalmente as bebidas? Alguém já passou por isso, comprando bebidas e/ou produtos volumosos no free shop e que precisavam despachar? A cia aérea cobrou por isso?

Imagem
ImagemImagemImagemImagemImagem



 Mensagem não lidaPublicado: Seg Ago 12, 2013 10:02 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 39245
Eu sempre trouxe na mão sem problemas, mesmo bebidas. Algumas vezes voei por São Paulo e depois vim de GOL para o Rio de Janeiro. Todas as vezes os produtos vieram comigo como bagagem de mão.

O problema é maior se você quiser trazer caixa de bebidas.

_________________
Você já conferiu as últimas matérias do Falando de Viagem? Acesse: https://fdv.im/materias


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Ago 13, 2013 12:13 am 
Mensagens: 508Barão Geraldo
Acho que vc se referiu a conexão (troca de aeronave) e não escala (sem troca de aeronave), correto?

É uma dúvida que também tenho e ao que me parece a politica para liquidos muda de aeroporto para aeroporto. Vindo do exterior sempre desço em Guarulhos, então não sei como funciona neste aeroporto.

Mas recentemente fui para Roma com conexão em Madrid, e na ida vi gente que comprou bebida e cosmético no freeshop de Guarulhos tendo que deixá-las no raio-x de Madrid. Na volta não quis arriscar e não comprei nada no freeshop de Roma, mas se tivesse comprado teria passado numa boa porque não passei por qualquer raio-x em Madrid.

Uma vez voltando da Austrália eu fiz conexão em Auckland, e o próprio funcionário do freeshop australiano me recomendou a não comprar qualquer liquido pois ele provavelmente seria retido em Auckland.

Também já tive problema voltando de Montevideo num voo que deveria ser direto para GRU, e por problemas técnicos na aeronave houve atraso e troca para um voo com conexão em POA. Em POA o fiscal implicou com os vinhos comprados no freeshop, não aceitou minha justificativa de que eu já estava com eles dentro de uma aeronave que iria direto para GRU, e precisei despachá-los.


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Ago 13, 2013 9:34 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 8776Rio de Janeiro- RJ
Minha única experiência do tipo se resume a comprar em GRU e fazer conexão para GIG. Nesse caso, nunca tive problemas para embarcar quando o vôo era doméstico.
Mas quando se tratava da continuação de um vôo internacional, fui informada que deveria despachar as bebidas nas malas.
A TAM tem um vôo partindo do terminal internacional de GRU para GIG ,80 alguma coisa ( prefixo internacinal), que junta todo mundo que chega pela manhã a Guarulhos vindo dos vôos dela e de outras cias Star Alliance. Pois bem, nas duas vezes que tive que voltar por essa rota ( uma vez vindo de FRA e outra do JFK ) precisei despachar as bebidas.
Mas nas vezes que a conexão foi feita por uma ponte aérea comum, trouxe na mão mesmo.

_________________
http://fdv.im/FabioMacedo


 Mensagem não lidaPublicado: Qua Ago 14, 2013 5:01 pm 
Mensagens: 952
Isso, na verdade é conexão não escala.

Minha dúvida não é tanto quanto ao líquido (até porque o free shop lacra em um saco específico para você poder usar inclusive em conexões - fiz isso uma vez com um perfume que comprei saindo do Brasil), mas com relação ao volume, no caso, uma caixa de bebida por exemplo.

A TAM cobrou de você Fabio?


 Mensagem não lidaPublicado: Qua Ago 14, 2013 7:22 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 8776Rio de Janeiro- RJ
Imagino que a pergunta seja sobre conexão. Na escala nem você e nem a bagagem descem do avião.

Na primeira vez (JFK) eu tinha sobra de peso nas malas.

Na segunda o erro foi da TAM. Eu deveria ter voltado em vôo direto FRA-GIG mas eles me mudaram para FRA-GRU-GIG. Enfiei as bebidas em uma única mala. Essa foi a 45kg, mas como estavam errados não deram um pio. Eu estava com 4 pedras na mão esperando só uma chance de atirá-las.

_________________
http://fdv.im/FabioMacedo


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Set 05, 2017 12:57 pm 
Mensagens: 264
Pessoal,

minha duvida é a mesma de vocês, como que faz pra trazer 12 garrafas de bebidas? Sendo que provavelmente vou comprar em SP e vir pra Floripa


 Mensagem não lidaPublicado: Seg Abr 02, 2018 6:44 pm 
Mensagens: 23
Boa noite amigos

Alguma novidade?


 Mensagem não lidaPublicado: Seg Abr 02, 2018 6:47 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 39245
Já cheguei de voo internacional e fiz voo doméstico com a GOL. Eles disseram que não era necessário despachar as bebidas, pois estavam na sacola lacrada do Duty Free.

_________________
Você já conferiu as últimas matérias do Falando de Viagem? Acesse: https://fdv.im/materias


 Mensagem não lidaPublicado: Qua Set 12, 2018 8:54 am 
Mensagens: 1
Acabei caindo nesse tópico por acaso enquanto procurava informações justamente para a situação que o criador do tópico mencionou.

Me senti obrigado a voltar aqui para contribuir, pois acabei de vivenciar a situação.

Cheguei em SP ontem de Paris, fazendo conexão no Galeão. Eu queria comprar vinhos no Duty Free de Paris, mas, como meu vôo era destino final GRU, e, por consequência, minhas bagagens também iam direto para GRU (fazendo alfândega no Galeão), estava com medo do que poderia acontecer se eu comprasse vinho no duty free de Paris e viesse com isso na bagagem de mão.

Eis que foi mais simples do que eu imaginei. O pessoal da Airfrance me explicou, ainda em Paris, que eu poderia levar vinhos tranquilamente pois eles colocariam em uma embalagem lacrada com a NF dentro. Desdde que eu não abrisse a embalagem em momento algum, eu poderia transportar os vinhos na bagagem de mão até o destino final.

Dito e feito. Comprei vinhos no Duty free de Paris, embarquei com eles na bagagem de mão.
Cheguei no Galeão, peguei minhas malas, fiz alfandega, voltei a colocá-las na esteira para o destino final (GRU) e continuei com os vinhos na bagagem de mão.
Ainda no galeão, fiz mais compras de vinhos no duty free de lá. Fizeram a mesma embalagem lacrada que foi feita em PAris.
Passei pelo raio-x no Galeão com os vinhos, a segurança me informou que não haveria problema nenhum pois as embalagens estavam lacradas. Embarquei e cheguei a GRU tranquilamente.

Somente temos que estar atentos as regras da nossa alfandega para a importação de bebidas. De resto só alegria, podem comprar bebidas e trazer em voos com conexão tranquilamente.

Obrigado!


 
 Tópicos Relacionados      Respostas 
Vale a pena fazer compras no Duty Free Shop do Aeroporto de Buenos Aires?

em Compras em Buenos Aires

Última mensagem Dom Mar 01, 2020 8:12 pm GabrielDias Ver última mensagem

 

2

Parcelamento de compras no Duty Free Dufry em até 12 vezes sem juros

em Informações para viagens

Última mensagem Sex Abr 17, 2020 9:22 am Ajudante Ver última mensagem

 

6

Compras de roupas, sapatos e acessórios têm direito a Tax Free em Nova York

em Compras em Nova York

Última mensagem Ter Fev 11, 2020 8:42 am yureco Ver última mensagem

 

6

Vale a pena fazer compras no Duty Free do Aeroporto de Lisboa?

em Compras em Lisboa

Última mensagem Sex Fev 07, 2020 6:56 pm Beatriz Ver última mensagem

 

1

O que é e quais as diferenças: stopover, escala e conexão

em Dúvidas gerais

Última mensagem Dom Abr 05, 2020 6:09 pm GabrielDias Ver última mensagem

 

1

 


Booking.com


Companhias aéreas
Franquia de bagagem

Todos os horários são GMT - 3 horas



Ir para:  
 

 

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 3 visitantes