Falando +D

Todos os horários são GMT - 3 horas




 Página 1 de 1 [ 3 mensagens ] 
 
 Mensagem não lidaPublicado: Sex Mar 20, 2020 4:20 pm 
 Atualizado: Sex Mar 20, 2020 4:24 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 18663
Administrador
Imagem

A humanidade já passou por diversas epidemias, mas a da COVID-19 é diferenciada. Não pela doença em si, mas pela reação comportamental da população. É a primeira vez que nos isolamos com o conforto do amplo uso das redes sociais. Elas já existiam em 2009, com a pandemia do H1N1, mas não eram tão populares como hoje.

Com isso, a resposta não poderia ser diferente. A quarentena mundial - seja ela obrigatória ou voluntária - é o cenário ideal para a produção massiva de memes sobre a pandemia. E uma das piadas mais recorrentes sobre o isolamento é sobre os chamados "bebês da quarentena". Enquanto os solteiros encaram uma seca, os casais têm o privilégio de aproveitar muito tempo livre a sós em casa e daqui a nove meses veríamos o resultado deste tédio.

O meme é muito bem-vindo para nos ajudar a passar por este momento tão sombrio de forma mais leve. Mas na verdade, ele não é exclusivo do coronavírus. Depois de grandes episódios desastrosos, a mesma piada ressurge. Mas histórica e cientificamente falando, é verdade que existe uma relação entre isolamento social e aumento da taxa de natalidade? Para tentar responder esta pergunta, vamos analisar alguns casos anteriores.

O que estudos feitos nos Estados Unidos apontam

Um estudo de 2007 da Brigham Young University, em Utah, analisou uma série de tempestades nas regiões do Atlântico e da Costa do Golfo e as respectivas taxas de natalidade nove meses depois de cada uma. Este estudo descobriu, "um efeito positivo e significativo da fertilidade", quando as tempestades tinham baixa gravidade, sem resultados de grandes catástrofes. O aumento na gravidez foi maior entre casais com pelo menos um outro filho.

Entretanto, o mesmo estudo constatou que, quando as chuvas causavam grandes tragédias, na verdade, as taxas de natalidade diminuíam. Richard Evans, um dos pesquisadores do estudo, explica: "Se as luzes e a TV estão apagadas, isso meio que põe a mesa para o romance. Mas se você está temendo pela sua vida, não pensa em gerar bebês".

Philip Morgan, professor de sociologia e demografia da Duke University, na Carolina do Norte, e especialista em fertilidade diz que a relação entre isolamento social e natalidade "é uma lenda urbana". Para tal afirmação, ele usa como base eventos como o apagão de 14 de agosto de 2003, que afetou 55 milhões de norte-americanos, e não levaram a um número maior que a média de bebês nos meses posteriores.

Morgan enfatiza que é preciso considerar o estresse causado por tais situações, como a consequente recessão econômica que tira o sono de empregados e empresários. Ele também lembra que as pessoas que usam métodos contraceptivos não têm motivos para os suspender nestes momentos, a não ser que já quisessem ter filhos antes.

Já em outras partes do mundo...

Há uma concentração de estudos sobre o tema nos Estados Unidos. Porém, ao analisar comportamentos humanos um fator essencial a ser observado é a cultura local. Para garantir uma visão global para a pergunta, seria preciso traçar o padrão da vida sexual de casais de diferentes nacionalidades em momentos rotineiros. Para provocar ainda mais esta dúvida, levantamos um estudo sobre natalidade e isolamento social feito na Tanzânia, país da África.

Durante quatro semanas em 2008, uma parte da ilha de Zanzibar perdeu eletricidade. Como áreas da ilha mantiveram normalmente o acesso à energia durante o mesmo mês, foi possível comparar diretamente as taxas de natalidade entre as regiões. Os dados da pesquisa mostraram que aqueles sem eletricidade tiveram uma taxa de natalidade 17% maior em relação a aqueles que tinham energia.

Qual é a conclusão?

A conclusão é que não existe uma verdade absoluta. Ciências humanas são complexas porque não oferecem resultados óbvios, como 2 + 2 = 4. São inúmeras variáveis a serem consideradas. Até o momento, não há evidências conclusivas de que um estado de emergência leve a um 'baby boom'. Independente se você acredite ou não nesta relação, custa nada incluir alguma forma de contraceptivo na sua lista de compras para quarentena.

Se você foi concebido ou teve filhos graças a um isolamento social, conte a sua história nos comentários!

Imagem
ImagemImagemImagemImagemImagem

_________________
Você já conferiu as últimas matérias do Falando de Viagem? Acesse: https://fdv.im/materias



 Mensagem não lidaPublicado: Sáb Mar 21, 2020 8:07 am 
Mensagens: 2025
Na Alemanha o aumento de camisinhas aumentou em 20% segundo informou um jornal.

_________________
http://fdv.im/AdrianaRuhmke


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Mar 24, 2020 8:10 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 39280
Faz sentido...

_________________
Você já conferiu as últimas matérias do Falando de Viagem? Acesse: https://fdv.im/materias


 
 Tópicos Relacionados      Respostas 
20 itens pra deixar seus dias de isolamento mais agradáveis

em Compras on-line

Última mensagem Qui Abr 09, 2020 1:47 pm Beatriz Ver última mensagem

 

2

Situação dos principais países turísticos do mundo em relação ao coronavírus

[ Ir para página: 1, 2, 3 ]

em Falando +D

Última mensagem Qua Mai 20, 2020 11:31 am Ajudante Ver última mensagem

 

26

Confira as políticas adotadas pelas principais companhias aéreas em relação ao coronavírus

em Companhias aéreas

Última mensagem Ter Mar 31, 2020 10:52 am Ajudante Ver última mensagem

 

4

O que fazer na quarentena: 10 museus icônicos que oferecem visitas virtuais

em Falando +D

Última mensagem Ter Mar 17, 2020 9:08 am Adriana Ver última mensagem

 

3

11 deliveries de pizzarias locais no Rio de Janeiro para pedir durante a quarentena

em Onde comer no Rio de Janeiro

Última mensagem Qua Mai 27, 2020 1:13 pm Ajudante Ver última mensagem

 

7

 


Booking.com


Falando +D

Todos os horários são GMT - 3 horas



Ir para:  
 

 

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 6 visitantes