Falando +D

Todos os horários são GMT - 3 horas




 Página 1 de 1 [ 8 mensagens ] 
 
 Mensagem não lidaPublicado: Dom Jul 26, 2020 8:13 pm 
 Atualizado: Qua Set 02, 2020 3:07 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 18786
Administrador
Imagem

Os movimentos de slow food e slow fashion ganharam mais um aliado, o slow travel. A nova tendência defende que viajar deve ser mais do que dar check em uma lista de pontos turísticos. Os adeptos ignoram os roteiros óbvios e as dicas que dizem o que todo viajante tem que fazer. Preferem desbravar o destino com calma - mesmo que isso signifique deixar de conhecer várias partes - do que planejar minuto a minuto do dia para fazer o máximo possível.

O crescente número de slow travelers é uma resposta para o chamado "burnout do turismo" ou overtourism. A ideia de que é preciso fazer determinados passeios dados como imperdíveis pode fazer com que as férias sejam mais cansativas do que prazerosas. O slow travel não é uma cartilha de como se comportar em viagens, e sim uma mentalidade. É a ideia de se ver como protagonista da própria viagem. Ao invés de seguir um passo a passo que te coloca em uma caixinha turística genérica, é entender o que realmente faz sentido para si, a partir dos próprios gostos e desejos.

Engana-se quem pensa que o slow travel está necessariamente ligado à natureza. É sim possível ser slow até nas metrópoles mais agitadas do mundo, como Nova York, Paris ou Londres. Usemos exemplos de passeios clássicos, como subir na Torre Eiffel e assistir a troca de guardas no Palácio de Buckingham. Muitos viajantes colocam tais atividades no roteiro por acharem que precisam e caso não façam, não vão ter verdadeiramente experienciado o destino. Já os slow travelers não se deixam levar pela pressão do senso comum refletem sobre a decisão. Isso faz sentido no meu contexto? Essas atrações têm a ver comigo? Eu prefiro usar esse tempo para fazer outra coisa?

Leia também: Como viajar de forma mais sustentável | 10 práticas para você usar em suas viagens

O aspecto político

Para muitos adeptos, o slow travel também é político. Assim como o slow food e fashion priorizam pequenos produtores para colaborar com uma economia mais limpa, alguns slow travelers também seguem a linha de valorizar o local. Na prática, isso pode significar se hospedar em imóveis alugados ao invés de em hotéis de chancela internacional e ir a espaços menos turisticamente óbvios, onde os locais frequentam. E como os slows se misturam, a postura também engloba comer em locais que refletem a cultura do destino ao invés de em restaurantes que existem em várias partes do mundo e fazer compras que te fazem levar uma parte daquele lugar para casa ao invés de objetos sem identidade.

Outra forte veia política do slow travel é a sustentabilidade. O respeito ao meio ambiente se manifesta em diversos aspectos. Em entender que não é preciso comprar dezenas de souvenires de plástico por que as memórias são os bens mais valiosos a se levar para casa, por exemplo.

Como o grande gancho do slow travel é o tempo, o meio de transporte usado nestas viagens também é um dos principais tópicos. Muitos slow travelers preferem alugar uma bicicleta para explorar o destino com calma do que optar pela agilidade do metrô e perder a vida nas ruas no percurso debaixo da terra, por exemplo. Os mais entusiasmados abominam até os trechos de avião. A lógica é a de levar mais tempo no deslocamento via carro ou trem, mas aproveitar cada minuto admirando as paisagens do trajeto.

Leia também: Como comprar de forma mais consciente em viagens - por uma (ex) consumista

O que todos viajantes devem aprender com o slow travel

Em suma, o slow travel é sobre humanizar as viagens. É sobre dar a devida importância à vivência multissensorial do destino e entender que ela é fluida para além de uma lista pronta de paradas obrigatórias. Antes de ser um turista, você é uma pessoa inteira, com vontades e opiniões próprias, e por isso, deve seguir um roteiro (ou uma ausência de roteiro) que converse com a sua personalidade, ao invés de se encaixar em conceitos prontos criados por terceiros.

Leia também: Como calcular a pegada de carbono da sua viagem?

GreenPress - Rede de Turismo Consciente

A GreenPress – Rede de Turismo Consciente é um projeto elaborado por jornalistas e formadores de opinião especializados no setor de viagens e turismo. Sem fins lucrativos, a rede trabalha para que o turismo seja uma indústria sustentável. A GreenPress pretende ser fonte de inspiração e de informação confiável para viajantes que buscam deixar pegadas sustentáveis pelo Brasil e pelo mundo.

Acompanhe o Instagram: https://www.instagram.com/greenpressbr

Planeje a sua próxima viagem

Para você não ter trabalho, nós fizemos selecionamos as melhores empresas, com os melhores preços e totalmente confiáveis, para você reservar on-line e com opção de parcelamento.

- Quer pegar a estrada? Alugue um carro clicando aqui.
- Prefere ir de avião? Compre sua passagem aérea clicando aqui.
- Hotel de luxo ou custo-benefício? Escolha a melhor hospedagem clicando aqui.
- Quer curtir sem preocupações? Garanta o seguro de viagem clicando aqui.
- Quer ficar 24 horas on-line? Compre seu chip de internet clicando aqui.
- Quer comprar moeda estrangeira? Receba em casa ou escritório clicando aqui.
- Ingressos para as principais atrações? Compre on-line e parcele clicando aqui.
- Precisa de uma mala nova? Compre on-line e parcele clicando aqui.

Leia também:
- Grupos do Falando de Viagem no WhatsApp
- Grupos do Falando de Viagem no Telegram

Boa viagem!

Texto: Manoela Caldas.

E você, já conhecia o conceito slow travel? Se identifica com o movimento? Conte a sua experiência nos comentários!

Imagem
ImagemImagemImagemImagemImagem

_________________
Participe do melhor grupo de descontos do WhatsApp. Acesse: https://fdv.im/Descontos11



 Mensagem não lidaPublicado: Seg Jul 27, 2020 11:00 am 
Mensagens: 973
Sempre fui adepto. Me dá urticária aqueles roteiros de 10 cidades em 15 dias.

É tão gostoso viver a vida local. Se perder pelas ruas de um bairro charmosinho. Resolver sentar em um café e esquecer dos check-ins.


 Mensagem não lidaPublicado: Seg Jul 27, 2020 2:20 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 5871
Sou cada vez mais adepta dessa filosofia. Na verdade nunca gostei por exemplo do pinga pinga de conhecer 5 países europeus em 10 dias! rs Mas por outro lado sempre tive um check list enorme de coisas para fazer nas viagens e quando não dava certo ou chovia e o programa melava eu ficava emburrada. Atualmente eu brinco que eu não "TENHO QUE..." nada.... faço o que quero, quando quero. Se der, ok. Se não der ok também. Não preciso esgotar nenhum destino e mudanças de planos são muito bem-vindas!

Por um mundo com mais slow travelers! Vale a pena refletir sobre esses pontos e ir com mais calma!

_________________
http://fdv.im/JulianaMagalhaes


 Mensagem não lidaPublicado: Seg Jul 27, 2020 3:54 pm 
Mensagens: 96
Que artigo maravilhoso. Sou adepto dessa filosofia desde minha primeira viagem ao exterior. Prefiro mil vez 15 dias em um país, desfrutando da gastronomia, cultura, vida local, que ficar perdendo tempo em mil deslocamentos, aeroporto, faz malas, desfaz malas, check-in, check-out, etc. Pra mim viagem é igual a descanso, descobertas, encantamento.


 Mensagem não lidaPublicado: Ter Jul 28, 2020 5:50 am 
Mensagens: 2100
:D Sou um slow travel e não sabia. Não consigo ser totalmente free, tenho que ter um certo planejamento/ roteiro. Mas definitivamente não gosto de fazer nada correndo e de poder decidir algo espontaneamente.

Gosto de incluir os pontos turísticos famosos, mas também conhecer o local. Tipo visitar a Torre Eiffel e depois fazer um picnic no parque ou tomar um café em um bistrô e ficar observando o movimento.

_________________
http://fdv.im/AdrianaRuhmke


 Mensagem não lidaPublicado: Qua Jul 29, 2020 4:18 pm 
Mensagens: 1333
Todos os movimentos slow, como o fashion e o food, são muito legais, e o slow travel não seria diferente. Não posso me considerar uma slow traveler 100%, mas com certeza tenho muitas características. Mesmo não se encaixando totalmente, todos podem - e devem - aderir certas partes, acho que essa é a parte mais legal.

_________________
http://fdv.im/ManuCaldas


 Mensagem não lidaPublicado: Dom Ago 02, 2020 3:46 pm 
Mensagens: 17545
O que é a crise do overtourism e como ela afeta destinos e viajantes viewtopic.php?t=19355

_________________
Participe do melhor grupo de descontos do WhatsApp. Acesse: https://fdv.im/Descontos11


 Mensagem não lidaPublicado: Sáb Ago 08, 2020 7:52 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 40434
Eu quase nunca faço viagens slow travel. Queria fazer mais.

_________________
Você já conferiu as últimas matérias do Falando de Viagem? Acesse: https://fdv.im/materias


 
 Tópicos Relacionados      Respostas 
Para onde viajar em 2020? Conheça 20 destinos que são tendência

em Falando +D

Última mensagem Sex Jan 17, 2020 7:00 pm GabrielDias Ver última mensagem

 

5

Turismo sustentável: 5 souvenires para você NUNCA comprar em viagens

em Coluna da Manoela Caldas

Última mensagem Dom Jan 19, 2020 10:13 pm JulianaMagalhaes Ver última mensagem

 

3

Aproximando Distâncias: iniciativa da GOL para apoiar o turismo, o emprego e as riquezas brasileiras

em Notícias

Última mensagem Qui Set 03, 2020 1:59 pm manucaldas Ver última mensagem

 

3

Emissão de passagem aérea no LATAM Pass através da LATAM Travel

em LATAM Fidelidade

Última mensagem Qua Set 16, 2020 8:13 pm GabrielDias Ver última mensagem

 

1

Conheça os 10 maiores museus do mundo

em Falando +D

Última mensagem Sex Jul 17, 2020 10:25 am Ajudante Ver última mensagem

 

8

 


Booking.com
Falando +D

Todos os horários são GMT - 3 horas



Ir para:  
 

 

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 3 visitantes