Como escolher qual casa de champanhe visitar | Veuve Clicquot, Moët & Chandon, Taittinger e Pommery

Troca de informações sobre a região da Champagne.

Avatar do usuário
falandodeviagem Mensagens: 19489 Administrador
Qui Mai 18, 2017 9:53 am
Imagem

Uma das maiores descobertas quando se chega à região da Champagne é que existem muito mais produtores dessa tão apreciada bebida do que a gente pode imaginar. Estima-se que sejam quase 15 mil produtores, mas a maior parte são pequenas casas que ou vendem suas uvas para marcas maiores ou acabam comercializando suas garrafas na região mesmo, o que faz com que sejam pouco conhecidas no exterior.

O fato é que muitos desses produtores oferecem visitas guiadas, mas esses passeios podem ser muito diferentes entre si, então damos aqui algumas dicas de como escolher a opção que mais se adapte ao seu gosto.

Existem grandes marcas de champanhe, como Veuve Clicquot, Moët & Chandon, Taittinger e Pommery. Todas elas oferecem visitas guiadas às suas sedes e caves. A vantagem de visitar as grandes casas é poder ver de perto a estrutura impressionante que está por trás da produção de milhares de garrafas da bebida. Além disso, as marcas maiores contam com caves subterrâneas antigas. Descer a quase 20 metros de profundidade e ver que existe quase uma outra cidade, subterrânea, onde boa parte da mágica do champanhe se passa é uma experiência única e você só vai poder experimentar se visitar uma dessas casas. Outra vantagem importante para quem não fala francês é que essas visitas podem ser feitas em inglês e também em outras línguas, se agendadas previamente.

O que pode ser desvantajoso nessas visitas é que os grupos da visita padrão são grandes, entre 15 e 35 pessoas, a depender da marca, o que torna a experiência um pouco menos personalizada. Além disso, você terá guias extremamente qualificados, mas que normalmente nunca trabalharam diretamente na produção da bebida. Os preços variam de acordo com o roteiro da visita e a quantidade de degustações oferecidas ao final. É importante ressaltar que também é possível contratar visitas privadas, completamente personalizáveis nessas casas, mas o custo costuma ser elevado.

Nós fizemos duas visitas a grandes produtoras de champanhe e contamos aqui nossa experiência.

Taittinger

As visitas guiadas à Taittinger acontecem todos os dias e podem ser reservadas no site da marca. Os preços começam em 19 euros por pessoa e acontecem em grupos de 20 a 35 pessoas. No site é possível reservar visitas em inglês ou francês, mas guias em espanhol estão disponíveis sob demanda.

Nós fizemos uma visita privada com uma guia excepcional, que trabalha na empresa há quase 20 anos e sabe cada detalhe da história e do processo de produção do champanhe. O passeio já começa com a descida para a cave subterrânea, que é absolutamente fascinante. No caso da Taittinger, é possível visitar apenas a cave mais antiga onde fica uma pequena parte da produção, que ainda é feita de maneira bastante artesanal. Quando voltamos à superfície, passamos uma sala onde estão expostas as edições especiais da marca e fomos para uma sala privada fazer a degustação. Aqui também as explicações da guia foram essenciais para enriquecer a experiência. Além disso, pelo fato de ser uma visita privada, ela teve bastante tempo e paciência, o que nos permitiu degustar com toda calma as bebidas excepcionais que a casa produz.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Veuve Clicquot

A Veuve Clicquot, uma das mais conhecidas marcas de champanhe, oferece visitas todos os dias, em inglês ou francês, a partir de 25 euros por pessoa. Os grupos não ultrapassam 19 pessoas e os ingressos podem ser comprados on-line, com hora marcada.

A visita começa com um vídeo de apresentação da empresa: bastante interessante para conhecer essa que é uma das mais antigas casas de champanhe. Em seguida, somos conduzidos à cave, cuja entrada fica em um lindo jardim onde são cultivadas plantas que inspiram o aroma dos champanhes da casa. A cave da Veuve Clicquot é uma verdadeira cidade subterrânea. Toda a produção da empresa está ali e é possível ver carrinhos e pessoas passando para lá e para cá movendo caixas da bebida. É uma sensação muito legal de estar no coração da empresa, onde tudo acontece. Nossa guia foi excelente e muito paciente, explicando todos os detalhes e curiosidades. Ao voltar à superfície, fomos para uma linda sala privada onde fizemos a degustação acompanhada de água e de alguns biscoitinhos.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Pequenos produtores

Como dissemos acima, além das grandes casas de champanhe, há milhares de pequenos produtores que podem ser visitados. Nesses lugares, você vai ter a oportunidade de conversar diretamente com quem trabalha nas vinhas e faz todas as etapas do processo de produção. Em geral, eles são extremamente atenciosos com os visitantes e ficam contentes de poder partilhar suas experiências pessoais.

Nós visitamos o produtor Jean-Claude Lépitre, que fica nas proximidades da cidade de Reims. Fizemos um passeio de bicicleta pelos campos da região que terminou com uma degustação desse delicioso champanhe. Jean-Claude nos recebeu calorosamente na sua casa e mostrou todos os detalhes da sua produção contando a história de como sua família trabalha no ramo há muitas gerações. Visitamos também a cave da sua propriedade e logo depois partimos para uma deliciosa degustação no seu jardim. Aqui a quantidade de garrafas a degustar não se mede pelo preço pago e sim pelo bom papo que vai se desenvolvendo. A delícia de visitas como esta é conhecer histórias de pessoas que por gerações trabalham com este tão valorizado produto.

Imagem

Imagem

Também tivemos a ocasião de visitar a produção do champanhe Damien Hugot. Trata-se um produtor de médio porte voltado para a exportação. Há um único restaurante na França que vende seu champanhe, o Les Berceaux na cidade de Épernay, e todo o resto é exportado para diversos países. Damien nos recebeu como se nos conhecesse há muito tempo. Permitiu que provássemos não apenas seus champanhes, mas também os vinhos que ainda estavam esperando para ser engarrafados e passar pela segunda fermentação. Foi uma experiência absolutamente incrível.

Imagem

Imagem

Imagem

Para conhecer a região de forma mais completa, recomendamos visitar pelo menos uma grande casa de champanhe e um pequeno produtor. Dessa forma, você conseguirá ter uma visão mais ampla e completa do que é a produção da bebida. O Escritório de Turismo de Reims é bastante solícito e pode ajudar a localizar e entrar em contato com pequenos produtores, já que estes contatos nem sempre estão facilmente disponíveis on-line. Para conhecer bem, a melhor opção é alugar um carro.

Planeje sua viagem pela França

Para você não ter trabalho, nós fizemos selecionamos as melhores empresas, com os melhores preços e totalmente confiáveis, para você reservar on-line e com opção de parcelamento.

- Quer pegar a estrada? Alugue um carro clicando aqui.
- Prefere ir de avião? Compre sua passagem aérea clicando aqui.
- Hotel de luxo ou custo-benefício? Escolha a melhor hospedagem clicando aqui.
- Quer curtir sem preocupações? Garanta o seguro de viagem clicando aqui.
- Quer ficar 24 horas on-line? Compre seu chip de internet clicando aqui.
- Quer comprar moeda estrangeira? Receba em casa ou escritório clicando aqui.
- Ingressos para as principais atrações? Compre on-line e parcele clicando aqui.

Saúde!

Texto e fotos: Nina Santos.

O Falando de Viagem viajou para a Champagne com apoio do Reims Tourist Office e com carro alugado pela Rentcars.

E você, já visitou a região da Champagne? Conheceu alguma casa produtora da bebida? Qual a que você mais gostou? Conte para nós a sua experiência!
Imagem
ImagemImagemImagemImagemImagem
Conheça os grupos pagos do Falando de Viagem no WhatsApp: https://fdv.im/grupospagos
Avatar do usuário
MarySimoes Mensagens: 581
Qui Mai 18, 2017 11:13 am
Acho que se só pudesse escolher uma, eu iria na da Veuve Clicquot.
http://fdv.im/MarySimoes" onclick="window.open(this.href);return false;
Avatar do usuário
Fabio Mensagens: 8868
Qui Mai 18, 2017 11:35 am
Quando estive lah, dos grandes, visitei a Mumm, porque na epoca nao exigia reservas e havia grande disponibilidade de horarios, e a Roederer, pelo simples fato de produzir a Cristal.

Recomendo por demais!

A visita a pequenos produtores realmente vale muito a pena por ser mais pessoal. Nesse caso a dica eh procurar um produtor de rotulos Premier Cru.
NinaSantos Mensagens: 17
Qui Mai 18, 2017 3:24 pm
Fabio, o Jean-Claude Lepitre é Premier Cru e o Damien Hugot é Grand Cru. S~ao excelentes!
Avatar do usuário
Hugomarcio Mensagens: 3725
Qui Mai 18, 2017 5:25 pm
Quando estive na região eu visitei a Pommery, que achei bacana, e a Ruinart, que foi excepcional.

Na Ruinart a degustação é dos dos melhores Champanhes, numa sala elegante, com poucas pessoas.
Ayos0 Mensagens: 121
Qui Mai 18, 2017 6:08 pm
Eu visitei a Veuve e fiz o tour "On the Footsteps of Madame Clicquot".... bem legal, excelente champanhe.
Avatar do usuário
JulianaMagalhaes Mensagens: 6016
Sex Mai 19, 2017 12:22 pm
Que legal!
Quando eu for, pretendo fazer mais de um e tentar mesclar produtores renomados com pequenos produtores locais.
Adriana Mensagens: 2169
Ter Mai 30, 2017 9:53 am
Que delícia! Eu visitei a Moët & Chandon e um produtor pequeno que não lembro o nome.
Foi muito legal, quero voltar um dia e visitar mais alguns.
CidaMagalhaes Mensagens: 34
Qua Jul 19, 2017 11:39 am
Excelente matéria! Explicou muito bem!



Booking.com

Voltar para “Champagne”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante


Anúncio