Destinos - África
Egito

Todos os horários são GMT - 3 horas


Ir para página 1, 2  »

 Página 1 de 2 [ 15 mensagens ] 
 
 Título: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Sáb Dez 30, 2017 9:21 am 
Avatar do usuário
Mensagens: 17896
Administrador
25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito

Imagem

O Egito é um destino que permeia o imaginário de muita gente. Seja devido as aulas de história na infância, pelo fato de ser o único lugar do mundo onde ainda se pode ver uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, ou até mesmo pela grande influência que a cultura egípcia teve e ainda tem para a humanidade. Ao viajar pelo Egito você pode dizer que "tocou" na história de verdade!

Estar lado a lado com as famosas pirâmides e tocar em pedras colocadas ali a mais de 4.000 anos é indescritível. Conhecer templos, passear de barco pelo rio Nilo e visitar uma das bibliotecas mais importantes do mundo é realmente fascinante. São experiências únicas! Apesar de todos os predicados o país ainda é pouco visitado por brasileiros.

Depois de explorarmos uma parte desse destino encantador e surpreendente listamos algumas informações de grande importância para ajuda-los a tirar esse sonho do papel.

1) VISTO

Brasileiros precisam de visto, mas ele pode ser tirado no aeroporto. Também é possível emitir com antecedência no Brasil em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, mas não testamos essa emissão e consideramos desnecessária se existe a possibilidade de fazer de maneira mais prática ao desembarcar. Compra-se um "selo" por US$25 em guichês de bancos nacionais dentro do aeroporto, logo após o desembarque do avião, e entrega para o agente da imigração que o coloca no passaporte. Além do agente de imigração, na alfândega ainda costumam ter perguntas sobre a sua permanência e finalidade da viagem. É importante ter os comprovantes de onde vai se hospedar, do seu voo de volta e da quantia que dispõe para se manter durante a estadia. Algumas empresas de receptivo recebem você na saída do avião e o ajudam com esses trâmites. É um serviço que ajuda bastante, pois não há muita sinalização indicando os passos necessários para o processo de emissão do visto. Nós compramos o selo no banco Emirates NBD.

IMPORTANTE: o banco não aceitava e nem trocava real, então leve dólares americanos ou euros, que sempre são bem aceitos.

Durante o voo recebemos um cartão para preencher as principais informações sobre a nossa estadia, finalidade da viagem e procedência, que deve ser preenchido e entregue junto com o passaporte e selo ao agente de imigração.

Imagem

2) VACINA

É necessário ter o Certificado Internacional de Vacinação de Febre Amarela. Entretanto, ele não foi pedido em nenhum momento, nem no embarque no Rio de Janeiro (voamos com a Lufthansa) e nem na chegada ao Egito. Para uma pessoa do grupo que fez o embarque em São Paulo foi solicitado (voando com a Turkish Airlines). Como o certificado é vitalício, não conte com a sorte, e providencia logo o seu para nunca mais ter problemas.

3) MOEDA

A moeda do Egito é a libra ou pound egípcio. A melhor forma de trocar nas casas de câmbio é levando dólar americano. Euros também são aceitos. Real não é aceito com facilidade em todos os bancos. Durante a nossa viagem 1 dólar valia 17 libras e 1 euro valia 20 libras.

Em muitos hotéis há caixas eletrônicos para fazer o câmbio, sem precisar de nenhum atendente. Elas são extremamente práticas e o preço similar ao das casas de câmbio, então vale a pena pela comodidade. Além disso, essa facilidade permite que façamos as trocas de pouco em pouco para não sobrar muito da moeda local antes de deixarmos o país.

Imagem

4) USO DE CARTÃO DE CRÉDITO

Os cartões de crédito Visa e MasterCard são bem aceitos na maioria dos estabelecimentos. Nos mercados tradicionais e com vendedores ambulantes é recomendado ter dinheiro em espécie. Alguns aceitam dólar, mas é melhor ter a moeda local, principalmente se for para regiões do interior do país.

5) COMUNICAÇÃO

O principal idioma no Egito é o árabe, mas o inglês é bem difundido, principalmente em atrações mais famosas, nos hotéis e restaurantes. É comum ter placas em árabe e em inglês (mas nem todas são, inclusive nas estradas há algumas só em árabe). Na região de Assuã, há ainda o idioma núbio, uma língua oral, sem escrita, falada pelos habitantes de vilarejos ao redor da cidade. O povo núbio é descendente da primeira civilização negra da África.

Veja a foto da placa de um carro no Egito com a duas formas de escrita:
Imagem

6) RELIGIÃO

Entre 80 a 90% da população é muçulmana e cerca de 10% são cristãos coptas. Os cristãos coptas fazem parte de uma vertente ortodoxa do cristianismo. Há ainda outras minorias cristãs no país. A religião muçulmana influencia muito na rotina e até nas leis do Egito. Inclusive, no país, é bem forte a tradição do Ramadã – o nono mês do calendário islâmico, onde os muçulmanos jejuam. Durante essa época algumas coisas do cotidiano podem ser afetadas como o horário de funcionamento de lojas e restaurantes. O fim desse período de um mês é muito celebrado e considerado feriado nacional. Em 2018 o Ramadã será entre maio e junho.

7) FUSO HORÁRIO

O Egito está a 5 horas a mais do que o horário do Brasil. No horário de verão brasileiro essa diferença cai para 4 horas a frente.

8) ROTEIRO

No nosso roteiro pelo Egito conhecemos o Cairo, Alexandria e Aswan. Em relação a parte histórica, Luxor é outra cidade que deve ser incluída no roteiro. E se tiver oportunidade, faça o passeio para Abu Simbel (é possível fazer um bate e volta de avião comprando com antecedência os voos da Egyptair ou de carro – fica 290 quilômetros de Assuã e leva cerca de 3 horas cada trecho; a região tem pouca estrutura hoteleira, então o bate e volta é o ideal). Há ainda regiões litorâneas como Sharm El Sheik e Hurghada que tem despertado a curiosidade de muitos viajantes com suas belas praias.

Imagem

9) QUANDO IR

As estações do ano no país funcionam seguindo o padrão do Hemisfério Norte, ou seja, contrário as estações do Brasil. O verão no Egito é muito quente e em Aswan chega a fazer 55 graus na sombra nessa estação, então é melhor fugir dessa época. Chove pouco (cerca de 8 a 10 vezes no ano) em regiões como Cairo, Aswan e Luxor. Já em Alexandria, no inverno, pode chover com mais frequência.

Nossa viagem aconteceu no início de dezembro. Pegamos temperaturas entre 12 e 20 graus no Cairo e chegamos a pegar 32 graus em Aswan, mas o clima estava agradável e não impediu nenhuma programação. Se você for conjugar com alguma região litorânea as estações médias (primavera e outono) podem ser melhor opção para aproveitar mais as praias.

10) TRÂNSITO

O trânsito é bem confuso e não recomendamos alugar carro no Cairo. Para atravessar a rua as faixas de pedestre são muito escassas e pouco respeitadas, então as vezes é necessário atravessar entre os carros. Os motoristas também não respeitam muito as regras de ultrapassagens. Motociclistas não usam capacetes e é comum ver até 3 pessoas ou mais em uma mesma moto.

É fácil notar pequenas batidas e amassados em quase todos os carros, ou seja, isso deve significar algo. Melhor não descobrir o porquê durante as suas férias. Além disso, em algumas estradas encontramos placas com informações somente em árabe – apesar da maioria conter os dois idiomas, árabe e inglês.

Imagem

11) TRANSPORTE

Há metrô no Cairo, mas só com 3 linhas, e há um vagão só para mulheres. O ticket custa 2 libras egípcias. As linhas de ônibus são muito confusas e pouco sinalizadas, além dos ônibus serem bem velhos, por isso não recomendamos. O Uber funciona bem na cidade. Os táxis existem em grande quantidade, mas em sua maioria apresentam carros velhos por todo o país. A oferta de táxi é bem incisiva no aeroporto. Eles rodam sem taxímetro e as corridas em geral são negociadas. Para os deslocamentos de/para o aeroporto um traslado previamente contratado vale a pena.

12) ALIMENTAÇÃO

A alimentação mais tradicional do Egito tem total influência árabe. Se prepare para deliciar-se com muito babaganoush, falafel, homus tahine, iogurte com pepino, quibe e pão egípcio assado na hora. As comidas são bastante temperadas e se você não tem o hábito de comidas assim é bom ir com calma para o organismo acostumar. A maioria das comidas não são muito apimentadas, mas é sempre bom perguntar, pois os pratos que levam pimenta, em geral, são muito picantes.

Imagem

Eles comem todo tipo de carne, inclusive uma iguaria comum no país, a carne de pombo, servida em bons restaurantes.

Imagem

Entretanto se essa não é sua praia ou quiser variar um pouco, no Cairo há muitos restaurantes de comida internacional e redes de fast food, como McDonald's, Pizza Hut e KFC.

É necessário ter uma autorização específica para venda de bebidas alcoólicas, que envolve uma grande burocracia para obtê-la, então poucos restaurantes vendem. Nos hotéis e restaurantes de rede é comum encontrar bebidas alcoólicas, mas não em restaurantes típicos mais tradicionais.

Como as bebidas alcoólicas tem uma alta taxa de impostos para importação, o mais comum é encontrar para consumo os vinhos e cervejas produzidos no país. Os preços são bons e uma garrafa de vinho da vinícola local Gianaclis custa o equivalente a cerca de US$8.

13) ÁGUA

Você não deve nunca tomar a água da torneira, pois não é potável. Só consuma água engarrafada. Compre garrafas de água para ter no hotel e sempre levar aos passeios. Não confie que vai achar para vender em todos os lugares que for, pois poderá ter dificuldades.

14) LIMPEZA

A maior parte das grandes cidades no Egito é bem suja. Há muito lixo e entulho espalhados pela cidade. Há também muitos prédios velhos, com construções abandonadas e com pinturas desgastadas – quando há pintura, pois a maioria tem tijolo aparente. Nos hotéis de categoria superior e nos bons restaurantes é tudo mais organizado e limpo.

Imagem

15) HOSPITALIDADE

Os egípcios são muito simpáticos. As mulheres muçulmanas, que em geral são muito tímidas, quando tem oportunidade, são gentis e acolhedoras. As negociações para a compra de algum produto são uma grande tradição para eles, mas podem acabar virando uma má experiência por não estarmos acostumados com tanta insistência. Então, se não tem paciência ou não está disposto, nem pergunte o preço.

Imagem

O turismo está voltando a renascer depois da grande decadência que teve nos últimos anos e percebemos como somos desejados pelos hotéis, pelos restaurantes, vendedores ambulantes e até pela população em geral. Em muitos pontos turísticos algumas crianças pedem para tirar fotos nossas como se fôssemos celebridades.

E quando falamos que somos brasileiros parece que o olhar do egípcio muda. Eles amam o Brasil e são muitos gentis com os brasileiros. No momento o assunto é a Copa do Mundo e ao menor sinal da nossa nacionalidade eles já enumeram os jogos que serão mais desafiadores no campeonato.

16) REMÉDIOS

É sempre bom levar os remédios que faz uso, mas tendo a necessidade de comprar algum que não levou, as farmácias são tranquilas para a venda sem receita (exceto de antibióticos e ansiolíticos). Provavelmente a maior dificuldade vai ser a comunicação. Por isso, o melhor é ter um seguro viagem bom, e tendo necessidade acione para ter atendimento médico e a receita do medicamento.

17) COMO SE VESTIR

Não há proibições para as vestimentas. Como um país árabe, para as mulheres a recomendação é andar um pouco mais composta para evitar olhares desnecessários. É bom evitar blusas de alcinha, roupas muito curtas e/ou decotadas. Se na sua programação do dia você for visitar uma mesquita, escolha um sapato fácil de tirar e, no caso das mulheres, leve um lenço para cobrir a cabeça.

Em praticamente todos os lugares que visitamos, nos restaurantes e na entrada dos hotéis, há revista de bolsas, então é bom ser prático e só levar o necessário para não perder muito tempo nesses trâmites.

18) ACESSIBILIDADE

A acessibilidade ainda é bem limitada para cadeirantes. Poucas atrações turísticas têm estrutura de rampas e locais adaptados, o que dificulta bastante o acesso para quem usa cadeira de rodas e até quem tem alguma dificuldade de locomoção.

19) HORÁRIO COMERCIAL

O horário oficial é entre 9:00 e 17:00, entretanto a maioria das lojas começa a funcionar a partir das 9:00 e ficam abertas até às 22:00 nas áreas mais turísticas. Bancos têm horários mais limitados.

20) GORJETA

O valor da gorjeta nunca é incluído no valor final da conta. Espera-se algo em torno de 10% a 15% em restaurantes. Em todos os serviços espera-se alguma gorjeta, incluindo motoristas, guias e carregadores de malas. Em torno de 10 ou 20 pounds egípcios é a quantia média oferecida. No aeroporto, há pessoas ao lado dos carrinhos de bagagem oferecendo ajuda, e é muito difícil pegar um carrinho se não aceitar. Eles esperam gratificação pela "ajuda", claro. Por isso, é bom sempre ter notas trocadas.

21) TOMADAS E VOLTAGEM

A voltagem é 220V. As tomadas no Egito são de 2 pontos redondos e não há grande dificuldade para conectar os equipamentos eletrônicos brasileiros (exceto os que já são do novo padrão de 3 pinos). Por mais que pareça o contrário, só o buraco do meio é fechado, então a tomada de 3 pinos não entra.

Veja uma foto da tomada no país:
Imagem

22) COMPRAS

A moeda do Egito é bastante desvalorizada e o país é muito barato. Em itens de decoração dá para fazer uma festa – há uma grande variedade de estatuas com temas egípcios, caixinhas de madrepérola, prataria, tapetes, luminárias e muito mais.

Imagem

Nos mercados tradicionais, os bazaars, é preciso sempre negociar, pois os preços não são fixos. Em geral, o primeiro valor que o vendedor dá é cerca de 60 a 80% mais caro do que ele realmente pretende ganhar com aquele produto. Se não tiver muita paciência para negociar, na loja de souvenir do aeroporto dá para conseguir bons achados, como estátuas médias e de boa qualidade custando entre US$1 e US$4, conjuntos de imãs por US$3 e chaveiros por US$1. Roupas, doces típicos e produtos importados não valem a pena no aeroporto.

Nos entornos da Pirâmides de Giza há muitas barraquinhas com souvenires e vendedores ambulantes. Os preços são bons. O chato é que os vendedores são muito insistentes e se um vê você comprando algo, vem vários te oferecerem outros produtos. Na saída da maioria das atrações turísticas tem venda de especiarias e artesanatos.

Imagem

Imagem

Inclusive, vale comentar, que é possível trazer especiarias para o Brasil, sem problemas. A flor de hibiscus egípcio, por exemplo, é muito famosa. Ela é usada no país para fazer o chá Karkadeh, que é oferecido no início de uma negociação e é sinal que ela vai longe. Eles vendem também anis, essências, várias pimentas, chás e uma extensa variedade de temperos.

Imagem

O país é famoso pelo algodão que produz, então camisetas básicas de algodão egípcio, toalhas e roupas de cama também podem ser boas compras. Não se acha com facilidade nas regiões turísticas, então é preciso dedicar pelo menos um turno para ir em shoppings e buscar itens desse tipo. Outro item que tem bons preços e boa qualidade no país são as joias com ouro. Fique sempre atento aos locais onde for comprar e não deixe de negociar bastante. No mercado Khan El Khalili, na Cidade Antiga do Cairo, tem muitas lojas de joias.

23) TELEFONE E INTERNET

Durante a estadia no Egito utilizamos o chip com internet da Easysim4u. Você recebe o chip em casa antes da viagem e seu único trabalho é colocá-lo no celular dentro do avião, para quando chegar já estar conectado. Ele funcionou bem nas grandes cidades e com uma conexão um pouco limitada, mas existente, em cidades menores. É bem fácil obter acesso a rede Wi-Fi em hotéis e restaurantes.

24) SEGURANÇA

Quando falamos que vamos ao Egito atualmente uma das principais perguntas que surgem é sobre segurança. Se é seguro? A resposta é muito mais complexa do que sim ou não. O país é sim um país seguro, mas tem suas ressalvas. Há muitos seguranças e policiais com armas de grande porte na frente de prédios, monumentos e hotéis. Em cidades menores parece até informal demais a posse que eles têm dessas armas. Sentimos isso quando eles apoiam um fuzil em cima da mesa como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Há detectores de metal por todo lado. Para entrar no aeroporto, por exemplo, da porta principal, onde já existe um detector até o portão de embarque onde existe outro, ainda passamos por mais 1 ou 2 outras revistas. Na chegada aos hotéis, cachorros cheiram suas malas grandes ainda no porta-malas do carro e bolsas menores são revistadas antes de entrar no lobby – isso desde hotéis mais simples até hotéis de luxo.

Todo esse aparato de segurança nos causa estranheza e nos deixa tensos, mas acabamos nos acostumando com o passar dos dias. Devido à grande parte da população ser muçulmana, é muito raro casos de roubos, pois há graves punições para esses delitos.

O maior medo é o do terrorismo. Para os brasileiros que não costumam lidar com uma grande comunidade muçulmana no país e muitas vezes tem uma imagem negativa na religião baseada nas notícias ouvimos com frequência sobre os grupos extremistas, o "desconhecido" acaba nos deixando um pouco inseguros. Conhecer o país e entender um pouco da história dessa religião e suas tradições nos ajuda a desmistificar muitas coisas e inclusive nos faz refletir sobre uma porção de preconceitos que temos.

Outro ponto que ajuda a contextualizar a questão da segurança no país é a grande discrepância social. Circulamos por bairros nobres e ao lado deles estão grandes aglomerados de prédios abandonados, quebrados, ruas sujas, como uma grande favela vertical.

Então, passado um pouco o choque cultural e a estranheza aos trâmites de segurança que não estamos acostumados a ver em destinos mais "comuns" de viagem, a sensação que fica é um pouco como a tensão de andar no Rio de Janeiro atualmente: estamos sempre alertas, mas continuamos passeando e nos permitindo sermos envolvidos pelo encantamento que esses destinos nos proporcionam.

O acompanhamento de guias foi essencial para a sensação de segurança, pois eles sempre sugerem o que devemos fazer, por onde devemos andar e quando devemos ficar mais atentos.

25) RECOMENDAÇÕES EXTRAS

Apesar de sermos um site que defende a viagem independente, entendemos que o Egito é um destino que merece o acompanhamento de um bom guia e a estrutura de um receptivo para tornar a experiência mais completa, principalmente por dois fatores: a segurança, que ainda é um tabu para os visitantes, e a história fascinante que envolve cada monumento que visitamos.

Visitar as Pirâmides de Gizé sem ouvir um pouco sobre todas as curiosidades e a complexidade que fazem parte da sua construção e manutenção, por exemplo, tira grande parte da graça. Além disso, com um guia e um carro contratado conseguimos explorar diversos pontos ao redor delas com vistas e panoramas totalmente diferentes.

A maioria dos pontos turísticos no Egito são mal sinalizados e oferecem pouca informação e conteúdo para o viajante independente. Inclusive, não espere grandes estruturas nos museus, bilheterias e banheiros, nem um atendimento muito esclarecedor se precisar da ajuda de algum funcionário das atrações, pois, em geral, eles são muito despreparados. É aí que o guia e as empresas receptivas fazem a diferença.

A outra recomendação é se preparar para a viagem estudando um pouco sobre a história do Egito Antigo e os últimos acontecimentos no país, como a Primavera Árabe. Se possível, prepare um pequeno resumo sobre cada cidade que visitará para não perder nenhum detalhe importante. No Egito, a história está nos museus e monumentos, mas também está na rua, está no povo, está nos sons e nos cheiros.

Imagem

Conhecer o Egito vale muito a pena! É um destino surpreendente e que tem muito a nos ensinar ainda. Planejamento e um pouco de estudo prévio são algumas das chaves para compreender a importância desse lugar e principalmente para treinar o olhar e se permitir enxergar como o país tem muito mais a oferecer do que somente monumentos antigos. Conhecemos uma pequena parte do país e fomos embora com o desejo de voltar em breve para explorar mais desse destino fascinante.

Boa viagem!

Texto e fotos: Sara Meirinho.

E você, conhece o Egito? Gostou? Tem outras dicas? Conte para nós a sua experiência!

Imagem
ImagemImagemImagemImagemImagem

_________________
Confira também as matérias do FDV no Portal R7: https://fdv.im/FDVPortalR7



 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Sáb Dez 30, 2017 11:05 am 
Mensagens: 461
Que texto completo!!! Incrivel

_________________
http://fdv.im/ManuCaldas


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Sáb Dez 30, 2017 1:38 pm 
Mensagens: 6
O Egito é incrível! E tem tantos lugares para conhecer que merece uma viagem longa ou algumas viagens... Já estou doida pra voltar :)

_________________


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Dom Dez 31, 2017 9:37 am 
Avatar do usuário
Mensagens: 1673Belém
Texto excelente, bem completo e atual. Obrigado.


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Dom Dez 31, 2017 12:08 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 133MG
Ótimo texto! Egito sem dúvida é um dos meus próximos destinos..


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Seg Jan 01, 2018 7:03 pm 
Mensagens: 307
Parabéns excelente relato


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Ter Jan 02, 2018 8:27 am 
Avatar do usuário
Mensagens: 11315
Impecável o texto/artigo.....
Parabéns...


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Ter Jan 02, 2018 3:54 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 5053
Excelente guia! :)
Lendo ele não restam dúvidas para quem pensa em ir para o Egito! viagens para destinos exóticos precisam ser muito bem planejadas!

_________________
http://fdv.im/JulianaMagalhaes


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Ter Jan 09, 2018 2:08 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 646MG
Opa, vou guardar este mega guia para uma eventual futura viagem ao Egito.


 Título: Re: 25 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Egito
Mensagem não lidaEnviado: Sex Jan 26, 2018 8:12 am 
Avatar do usuário
Mensagens: 34831
Excelentes informações! Fui ao Egito em 2010. Atualmente, a segurança é algo que me preocupa um pouco por lá, mas sem dúvida é um país incrível.

_________________
http://fdv.im/GabrielDias


 
 Tópicos Relacionados      Respostas 
23 coisas que você precisa saber antes de planejar sua viagem para o Vietnã

em Vietnã

Última mensagem Seg Jul 09, 2018 4:39 pm GabrielDias Ver última mensagem

 

2

Tudo que você precisa saber para planejar sua viagem para Myanmar

em Destinos - Ásia

Última mensagem Sáb Mar 24, 2018 4:41 pm GabrielDias Ver última mensagem

 

4

10 coisas que você precisa saber sobre Jeri

em Jericoacoara

Última mensagem Qua Jul 11, 2018 10:16 am GabrielDias Ver última mensagem

 

3

10 coisas que você precisa saber sobre Las Vegas

em Las Vegas

Última mensagem Seg Out 08, 2018 2:52 pm JulianaMagalhaes Ver última mensagem

 

3

10 coisas que você precisa fazer na sua primeira vez em Santiago do Chile

em Santiago do Chile

Última mensagem Seg Set 24, 2018 4:31 pm Ajudante Ver última mensagem

 

5

 

Destinos - África
Egito

Todos os horários são GMT - 3 horas



Ir para:  
 

 

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante