Destinos - América do Sul
Venezuela
Los Roques

Todos os horários são GMT - 3 horas [ DST ]




 Página 1 de 1 [ 6 mensagens ] 
 
 Título: Los Roques: O grande dia
Mensagem não lidaEnviado: Sex Abr 29, 2011 2:35 am 
Mensagens: 24
Los Roques: O grande dia

Chegou o grande dia e partimos rumo ao paraíso. O avião de São Paulo a Caracas é um A320 não muito novo. São 6 horas de viagem, quando começamos a pegar no sono e o avião se prepara para aterrissar. São inúmeros os formulários que devemos preencher durante o voo e posteriormente entregar para a alfândega. Mas, como estamos de férias, está tudo bem. Logo, no meio da madrugada, estamos chegando ao país.

Nós já havíamos pesquisado tudo a respeito de Los Roques e sabíamos a seqüência de atividades que deveríamos fazer. Neste momento deveríamos fazer câmbio paralelo, pagar duas das taxas aeroportuárias no valor de Bs 20,00 e Bs 27,50 (1 Dólar = + ou - 5 Bolivianos Fuertes) e procurar o aeroporto auxiliar para o novo embarque. O câmbio paralelo é muito mais vantajoso na proporção acima. Caso queira fazer o câmbio oficial, em uma casa de câmbio, pagará para cada dólar o equivalente a Bs 2,00. Que maluquice. O único problema de fazer o câmbio eram as pessoas que fazem este comércio. Nos blogs, pessoas relatam que foram roubadas, lesadas, extorquidas por estas pessoas que fazem o câmbio negro. Nós estávamos apreensivos, pois precisávamos trocar pelo menos U$100.

Quando saímos da alfândega e entramos no saguão do aeroporto demos de cara com muitas pessoas dispostas e te oferecer o mundo por alguns dólares ou euros. O pior é que eles estão vestidos de uma maneira que te confunde com militares ou para militares. Por isso, por alguns instantes, paramos para escutá-los e então nos demos conta que eles querem carregar malas, vender táxi, trocar dinheiro e te informar erroneamente sobre o que você precisa saber.

O Aeroporto de Maiquetia (Caracas) é composto por três terminais: O internacional por onde viemos, o nacional e mais além o auxiliar. Nosso vôo partiria do auxiliar, então nós acreditávamos que bastava alguns passos para o lado esquerdo ao desembarque e lá estaríamos como nos instruíram pela Internet. Porém, mais tarde, descobrimos que o aeroporto auxiliar era um pouco mais afastado e onde estávamos era o aeroporto nacional. Não muito longe, cerca de 500 metros, mas como estávamos no meio da madrugada, com malas, em um lugar desconhecido, resolvemos não dar chance ao azar e pegamos um táxi que nos levou até lá. Mas não foi simples assim, pois momentos antes fomos seguidos por pessoas que queriam fazer câmbio e por taxistas. Ficamos um pouco nervosos com a situação que se formou.

Fizemos o câmbio 5 Bs por U$1 e adquirimos apenas U$100. Os cambistas pressionaram dizendo que em Los Roques o câmbio seria muito menor. Pura conversa para boi dormir, já nos haviam alertado sobre isso. Ainda bem!

No aeroporto auxiliar, praticamente fechado e sem funcionários, nós e muitos turistas estávamos completamente perdidos no pequeno saguão. Primeiro deveríamos confirmar se aquele local era de fato o aeroporto auxiliar e logo em seguida onde era o check-in da companhia que tínhamos o bilhete. Nosso vôo era as 07h30 AM e o horário estava se aproximando e nada de
pessoas ou atendentes. Logo, encontrei um senhor negro alto, que posteriormente foi nosso piloto, que me indicou o local do check-in e o momento que a atendente chegaria. No horário marcado fizemos o check-in e fomos a sala de embarque. Nossa companhia aérea era a Sundance e no vôo era permitido levar apenas 10kg de bagagem. A multa por excesso de peso era 2 dólares por kilo se não me engano.

Estávamos em sete pessoas. Para quem tem medo de avião, pode começar a rezar, pois o avião é minúsculo. Fomos em oito pessoas, sete passageiros e o piloto. Se você escolher pode ir de co-piloto, bem estilo aventura mesmo.

Imagem

Imagem

Dica de ouro: No momento que sair da alfândega e entrar no saguão do aeroporto, não pare, nem se mostre perdido, procure saber antes se o teu vôo sai do aeroporto nacional ou auxiliar e vá direto ao balcão de check-in. Caso o aeroporto seja o auxiliar é mais seguro pegar um táxi, mas antes negocie com o taxista. Ele pode cobrar horrores por alguns metros. E se for o nacional basta andar alguns metros a esquerda do desembarque. Um pequeno trecho será feito por fora do aeroporto. (50 metros). Outra dica é trocar o mínimo de dinheiro possível. Em Los Roques você terá mais calma e tranqüilidade para fazer o câmbio. E, por último, se puder e quiser escolher uma companhia aérea melhor, que seja a Aerotuy. É um pouco mais caro, questão de 50 dólares (ida e volta), porém o avião sai do aeroporto nacional e aparentemente é mais seguro. O avião é para umas 30 pessoas ou mais, com 4 hélices. É o maior avião que pousa em Los Roques. E, no momento em que subir no avião, pegue as poltronas do lado esquerdo. Vocês saberão depois o porque. Vale a pena!

Após 45 minutos de vôo chegamos a Los Roques. Todas as pessoas que vem a Los Roques comentam sobre a visão aérea da cidade, mas como neste dia o céu estava um pouco encoberto não pudemos ver nitidamente as cores do atol. Paciência!

Ao desembarcar fomos recepcionados por José, ajudante da pousada, que se encarregou das mochilas. Cerca de 10 minutos caminhando pelas ruelas simples de Los Roques e chegamos a Pousada Guaripete. Lá fomos recepcionados por um belo café da manhã. Em seguida, nos arrumamos, passamos bastante protetor e fomos para praia. Já havíamos feito um mini itinerário com o primeiro dia em uma ilha próxima a Gran Roque. E lá fomos a Madrisquí.

Em relação à proteção da pele, devemos ter muita cautela. O sol é radiante e para ajudar a areia é branca (reflete luz solar). Portanto os protetores solares devem ser fator 50 pelo menos. Mesmo assim você voltará muito bronzeado, quase irreconhecível. No nosso caso levamos dois tubos de protetores fator 50 para o corpo e um fator 50 para o rosto. Usamos em duas pessoas e no último dia já havia acabado. Recomendo passar no mínimo três vezes ao dia o protetor. De manhã, após o café da manhã, próximo às 12 horas e próximo às 15 horas. E em todas as partes do corpo, desde o rosto até a panturrilha e os pés. Caso não queira dormir no cabide deve se preocupar com isso. E passe direito para evitar manchas. Ouvi relatos de pessoas que se esqueceram de passar protetor e no outro dia estavam com insolação e não puderam sair da pousada no dia seguinte. Imagina perder um dia neste paraíso. Nem pensar!

Los Roques é um atol constituído por 42 ilhas e aproximadamente 250 bancos de areia, arrecifes. Os mais visitados são: Gran Roque, Francisquí, Madrisquí, Crasquí, Noronquí, Nordisquí, Dos Mosquises, Cayo Muerto, entre outros.

Gran Roque é a ilha que se encontra a população de Los Roques (cerca de 1200 habitantes), nela estão as pousadas e os restaurantes para os turistas. Do porto de Gran Roque parte os barcos para todas as praias, ilhas e cayos. Gran Roque serve como base de apoio as demais ilhas. De dia os turistas saem e só voltam à noite para comer e dormir. As ruelas são simples e de areia. Há um campo de baseball, algumas lojas de artesanatos, quitandas, bares (2 ou 3), um posto de telefonia e Internet e praticamente mais nada. Muito simples. O exército faz a segurança, e como disse anteriormente há racionamento de energia e água doce. Os mantimentos chegam através de navios e aviões comerciais.

Dica de Ouro: Se quiser fazer uma ligação direta a cobrar para o Brasil, basta encontrar um orelhão (perto da Pousada Guaripete tem) e discar o seguinte número: 0800-100-1550. Este serviço é da Brasil Direto da Embratel e você ouvirá os próximos passos em português para efetuar a chamada. Caso contrário poderá usar o locutório que é anexo a Internet, bem ao lado da Pousada Guaripete. A Internet é horrível e inconstante. E o serviço de telefonia mais caro que o normal.

E você, conhece Los Roques? Aguardo seus comentários e relatos de experiências!


 Título: Re: Los Roques: O grande dia
Mensagem não lidaEnviado: Sex Abr 29, 2011 3:46 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 2237
Obrigado por compartilhar a sua aventura. Eu sempre fico muito curioso em saber como funciona o câmbio na Venezuela. Um casal amigo meu jura que foi extorquida nessa operação, porque o cidadão falava muito rápido e mexia muito no dinheiro, tipo, notas pra cá, notas pra lá e no final das contas eles não sabiam o quanto haviam trocado.

Mas creio que tenha valido a pena conhecer esse paraíso.

Abraço! 8-)


 Título: Re: Los Roques: O grande dia
Mensagem não lidaEnviado: Qua Mai 02, 2012 6:50 pm 
Avatar do usuário
Mensagens: 61
giovanifoz,

Obrigado pelo riquissimo relato!


 Título: Re: Los Roques: O grande dia
Mensagem não lidaEnviado: Dom Dez 23, 2012 2:04 am 
Avatar do usuário
Mensagens: 61
Quando fui a Los Roques, ao fecharmos com a Guaripete, enviamos um email adicional perguntando se eles poderiam nos indicar um hotel para passar a noite em Caracas. Nos responderam que poderiam arrumar para gente o hotel, o voo entre o aeroporto nacional e Los Roques e todos os translados. Aceitamos a proposta pois nao estavamos dispostos a pagar mais de 600 reais no Marriot ou Hilton, apenas para ficar uma noite. Quanto a Guaripete nos enviou o voucher em nome da Roquemar Turismo, entendi que existe uma parceria entre elas ou o dono é o mesmo! Bom, o fato é que foi tudo muito facil nesse setup inicial, o que nos deixou bastante tranquilos.

Quando chegamos no Simom Bolivar tivemos apenas uma dificuldade: Na parte de imigraçao existiam 3 filas e eu e minha esposa nao vimos nenhuma instruçao de qual fila pegar. Sei que estavamos cansados, mas nao existia uma unica placa com dizeres do tipo Venezuelanos e Nao-Venezuelanos. Minha esposa foi olhar as 3 filas e como em todas elas viamos pessoas munidas de passaportes diferentes do brasileiro, escolhemos uma delas e entramos. Depois descobrimos que nao tinha separaçao nenhuma, poderiamos ter entrado em qualquer uma das filas.

Depois que saimos na area de desembarque logo nos direcionamos ao guiche da Roquemar Turismo conforme mapa fornecido no voucher. Já do portao que separa a area de desembarque é possivel avistar o guiche. No curto caminho entre esse portao e o guiche da Roquemar, fui abordado por um taxista que me ofereceu translado, porém como eu disse que ja tinha ele ofereceu serviço de cambio. Nessa hora eu parei de andar e perguntei quanto estava no dia. Como antes ja tinha consultado o site http://www.dollar.nu/paralelo.php, ja tinha ideia de quanto ele ia me falar, entao quando veio a resposta, 15x1, disse que iria ver primeiro la no guiche da Roquemar.

No guiche, depois de apresentar o voucher, o atendente falou que em 5 min chegaria o transporte. Aproveitando esse tempo disponivel, perguntei ao atendente se teria alguem de confiança para fazer o cambio, o atendente respondeu prontamente 12x1. Disse entao que o taxista informara a pouco 15x1, entao ele me perguntou quanto eu queria trocar e fez um telefonema. Conseguiu chegar a 14x1, entao achei mais seguro fazer o cambio com essa indicaçao do atendente. Sorrateiramente uma pessoa chegou do meu lado e pegou meu dinheiro, contou na minha frente (disfarçadamente) um bolo de dinheiro e me entregou, como faltava entao ele retirou outro bolo de dinheiro e fez o mesmo procedimento, contou e me entregou. Antes que eu terminasse de contar todo o dinheiro ele foi embora e eu nada pude fazer. O complicado é que entre eu aceitar os 14x1 e o rapaz chegar ao meu lado para fazer o cambio, pedi a minha esposa para ligar a droga do celular dela para fazer o calculo de quanto daria. O problema é que ela tem um Atrix, entao curiosamente a droga desse celular nao ligou a tempo, portanto quando eu recebi o dinheiro e o cara foi embora eu nao sabia quanto tinha na minha mao porque nao tinha terminado de contar e nem quanto eu tinha que de fato receber. Parece brincadeira, mas me considero muito bom de matematica (sou formado em eng.) toda a situaçao e mais o cansaço da viagem me impediu de fazer a conta mentalmente. Nao sei se fiquei p da vida porque minha esposa nao conseguia ligar o celular...(desculpinha né, eu sei!)

Durante a primeira noite em Caracas fiquei no Miramar Suites. O translado foi feito por um taxi normal, que foi arrumado pela Roquemar. O taxista foi bastante simpatico e se esforçou bastante para entender o meu portunhol. Ele me explicou que o esporte numero 1 na Venezuela e que o Brasil tinha um time bom pois tinha se classificado para o mundial.

No check out, fomos pegos por um outro carro sem bandeira de taxi, e junto conosco havia outro casal de brasileiros que tambem ficariam na Guaripete, portanto rapidamente fizemos amizade. O rapaz que digiria o carro, Andre ou Andres, nos explicou tudo sobre o aeroporto nacional e nos levou até a fila do guiche da CHAPI AIR, que a unica identificaçao que tinha era uma cartolina encima do balcao com um papel impresso em impressora jato de tinta com o logotipo da CHAPI AIR e o nome propriamente. Como o Andre tinha estacionado o carro em local proibido (como ele mesmo falou) rapidamente ele voltou ao carro porém outra pessoa de confiança dele ficou conosco na fila da CHAPI e nos orientou em tudo. Explicou as taxas que teriamos que pagar e nos levou até a area de embarque, portanto me senti extremamente seguro.

Imagem
Ticket recebido no guichê da CHAPI.

Já o aviaozinho da CHAPI me deu um pouco de medo. O curioso é que a mesma pessoa que nos atendeu no guiche da CHAPI foi quem nos recebeu no porto de embarque e foi conosco com o onibus até o aviaozinho.

Imagem
O piloto falou que era proibido andar nos corredores do aviao!

Imagem
Vidros trincados.

Ao chegar em Gran Roque, o Fernando ja nos esperava para carregar nossas malas e do outro casal que chegou conosco, e nos acompanho nas casinhas da foto abaixo. Na primeira casinha pedem o passaporte e registram sua entrada e no outro guichê é que se paga a taxa do parque.

Imagem

No ultimo dia, o Carlos foi quem levou nossas bagagens até a pista e aguardou até nosso aviao sair. Quando o aviaozinho da CHAPI pousou, quem estava lá para nos recepcionar? A mesma pessoa do guiche da CHAPI - demos muita risada com isso. Ela nos acompanhou no onibus e me orientou sobre como eu poderia ir até o terminal internacional por dentro do aeroporto. Essa era uma das partes que mais me preocupava, mas foi muito facil. Levei 10 min em uma caminhada vigorosa até o guiche da TAM no aeroporto internacional.

Bom, no final das contas o planejamento da viagem foi bastante tranquilo. Eu achava que por nao saber falar espanhol ia sofrer bastante, mas no final foi tranquilo. O povo da ilha é bastante simpatico. O dinheiro BsF que me sobrou gastei tudo no freeshop da Venezuela, entao nao voltei com dinheiro venezuelano na mao.

Forte abraço.
turion


 Título: Re: Los Roques: O grande dia
Mensagem não lidaEnviado: Dom Dez 23, 2012 11:16 am 
Mensagens: 12817
Ótimo relato, turion!

_________________
Compre seu ingresso em até 10 vezes sem juros: http://fdv.im/seuingresso


 Título: Re: Los Roques: O grande dia
Mensagem não lidaEnviado: Sáb Fev 08, 2014 2:16 pm 
Mensagens: 140
Quando fico muito ansiosa com a viagem quase não durmo na noite anterior. É muita vontade de viajar!!! :lol:


Destinos - América do Sul
Venezuela
Los Roques

Todos os horários são GMT - 3 horas [ DST ]



Ir para:  
 

 

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante